Topo

F. Jonatan revela que Sampaoli pretende utilizá-lo mais no meio no Santos

Felipe Jonatan concede entrevista coletiva no CT do Santos - UOL
Felipe Jonatan concede entrevista coletiva no CT do Santos Imagem: UOL

18/09/2019 10h23

O lateral-esquerdo Felipe Jonatan revelou uma conversa com o técnico Jorge Sampaoli. O argentino espera que o atleta renda mais no meio-campo. Por isso, o camisa 36 deve seguir sendo escalado na posição nas próximas partidas do Santos.

Em entrevista coletiva nesta quarta-feira, no CT Rei Pelé, Felipe Jonatan relembrou todas as posições que já atuou desde a sua chegada ao Santos, em fevereiro. O defensor de 21 anos já jogou de lateral-esquerdo, volante e ponta esquerda.

- Tenho evoluído na nova posição (meio-campo). Sampaoli fala que tenho mais a dar ali que como lateral. Acho que serei mais aproveitado assim. É o clichê: quero ajudar sempre o Santos, a equipe, na lateral, volante ou qualquer posição. Tentarei ajudar o Santos em busca das vitórias - explicou o jogador.

Na lateral, Felipe Jonatan tinha a concorrência de Jorge. O camisa 3 fez boas partidas, agradou Sampaoli e foi convocado para a Seleção Brasileira, em agosto. O zagueiro Luan Peres também tem sido testado no setor.

O Santos volta aos trabalhos na manhã desta quarta-feira, no CT Rei Pelé, visando o duelo contra o Grêmio, neste sábado, às 21h, na Vila Belmiro, pela 20ª rodada do Brasileirão.

O camisa 36 analisou a partida e deixou claro que Sampaoli já passou vídeos sobre o Grêmio desde segunda-feira.

- A gente vem estudando o Grêmio desde segunda-feira. Será jogo difícil, eles estão numa crescente, semifinal da Libertadores. Têm Everton, Alisson e Tardelli na frente. Muita velocidade entre as laterais, professor prepara time bem, focado, como foi na semana do Flamengo. Semana antes do Flamengo foi bem focada, não que as outras não tenham sido, mas Flamengo e Grêmio é briga direto pelo título. Grêmio está chegando, é jogo crucial no campeonato - afirmou Felipe Jonatan.

O Santos é o terceiro colocado, com 37 pontos, dois a menos que o Palmeiras e cinco do Flamengo.