Topo

Futebol


Gaciba diz que saldo do VAR é positivo: "É um caminho sem volta"

Chefe de arbitragem afirmou que CBF levará ideias brasileiras para a pauta da IFAB (International Football Association Board) - Reprodução
Chefe de arbitragem afirmou que CBF levará ideias brasileiras para a pauta da IFAB (International Football Association Board) Imagem: Reprodução

Consolidado na Europa, o árbitro de vídeo ainda é responsável por dividir a opinião dos brasileiros. Em sua primeira temporada de ação no Campeonato Brasileiro, o tema é motivo de debate para jogadores, treinadores e até dirigentes do futebol nacional. De outro lado, quem tem ficado bastante satisfeita com o uso da tecnologia é a CBF. Após iniciar a utilização do protocolo em competições nacionais na Copa do Brasil de 2019, o balanço do VAR em seu primeiro ano no Brasileirão é bastante positivo de acordo com a entidade.

Chefe de arbitragem da CBF desde abril deste ano, Leonardo Gaciba não poupou elogios ao desempenho do VAR no Brasileirão. Em conversa com o LANCE!, o ex-árbitro revelou que não acredita num retrocesso da regra no futebol. E vê a presença do árbitro de vídeo como ponto fundamental para a evolução do esporte.

- Vejo sim como uma necessidade para a arbitragem tendo em vista que, em relação ao ano passado, aproximadamente 90% dos erros de arbitragem foram corrigidos. Acredito que o árbitro de vídeo é um caminho sem volta. Com o profissionalismo que temos hoje é uma vitória dos clubes brasileiros. É uma melhoria para o futebol brasileiro como um todo. Creio que o VAR veio para ficar - disse.

Mesmo com o balanço positivo da atuação do VAR no primeiro turno do Brasileirão, Gaciba admite que a tecnologia ainda deve passar por adaptações para o futuro. Segundo o chefe de arbitragem, é fundamental que seja aceito o momento de implementação do árbitro de vídeo, que passou a ser utilizado em agosto de 2016, na United Soccer League, dos Estados Unidos.

- O protocolo do VAR está em evolução. No final do ano a CBF levará ideias brasileiras para a pauta da IFAB (International Football Association Board), mas é algo muito novo ainda, que está numa fase de desenvolvimento. Estamos melhorando a cada rodada na questão do tempo de conferência e quanto ao nível de acerto estamos muito bem. Sabemos que precisamos sempre melhorar, mas o saldo é positivo até agora. - acrescentou.

Imagens liberadas para a TV a partir da 20ª rodada

Satisfeito com o desempenho do árbitro de vídeo no Campeonato Brasileiro, Gaciba ainda aproveitou para confirmar a liberação das imagens do VAR para os telespectadores. A partir da 20ª rodada da competição, as transmissões de TV terão acesso às imagens da conferência realizada à beira de campo. De outro lado, a possibilidade da transmissão das análises durante os jogos nos próprios estádios deve ficar mesmo para o Brasileirão de 2020.

Transmissões de TV terão acesso às imagens utilizadas pelos árbitros na beira de campo - Fernando Torres / CBF
Transmissões de TV terão acesso às imagens utilizadas pelos árbitros na beira de campo
Imagem: Fernando Torres / CBF

- Já está confirmado que teremos as imagens liberadas a partir da 20ª rodada. Tudo pronto e testado quanto a isso. Já a questão da imagem nos estádios ainda estamos estudando. Queremos um critério único para isso. Quando todos os estádios do Brasil estiverem em condições veremos isso. Falo isso porque alguns estádios ainda não possuem telão. Então estamos estudando, mas sem programação. Provavelmente é algo que ficará para 2020 - finalizou.

Mesmo com o balanço positivo por parte da CBF, o VAR tem gerado polêmica em diversos momentos da temporada do futebol brasileiro. Confira, abaixo, alguns dos casos mais recentes envolvendo o árbitro de vídeo:

Santos x Athletico-PR - Brasileirão

No final do jogo, o VAR entrou em ação e assinalou a penalidade máxima numa falta cometida em Marinho. O problema em questão foi que, segundo a imagem, o atacante do Santos sofreu o contato fora da área e, após um enrolar de pés, caiu dentro da área. Após muita contestação, Carlos Sanchez bateu e marcou, empatando o jogo nos últimos lances do jogo.

Boca Juniors x Cruzeiro - Libertadores

Em um lance comum na área, o zagueiro Dedé acabou atingindo o goleiro do Boca e fez a falta. Até aí tudo bem. Mas após a revisão do VAR, o árbitro acabou tomando a decisão de expulsar o jogador do Cruzeiro, naquela que ficou conhecida como um dos maiores erros na história do VAR. O time celeste pediu a revisão no tribunal, o erro foi reconhecido e o cartão foi anulado.

Athletico-PR x Grêmio - Copa do Brasil

Em um cruzamento na área, Pedro Geromel cabeceou a bola em direção ao gol, mas Wellington, que estava na marcação, desviou com o braço para fora. Logo após, o árbitro analisou o lance na revisão do VAR, mas optou por não assinalar penalidade máxima a favor do Grêmio, levando os jogadores do Tricolor Gaúcho a loucura. A diretoria gremista reclamou após o jogo com a CBF, mas a crítica foi ignorada e o resultado mantido. No momento do lance, os times empatavam em 0 a 0. O Furacão venceu o jogo e levou a disputa para pênaltis, onde se classificou para a final.

São Paulo x Flamengo - Brasileirão

No início da partida válida pela terceira rodada, o zagueiro Thuler atingiu o atacante Alexandre Pato numa disputa de bola no alto. Pato acabou saindo do jogo lesionado e teve uma lesão ligamentar nas vértebras, mas o jogador rubro-negro ficou apenas com o cartão amarelo e o VAR não interferiu na decisão do árbitro.

Fluminense x Goiás - Brasileirão

Na partida realizada no Maracanã, Everaldo abriu o placar do jogo no segundo tempo com um gol de fora da área. Em seguida, o árbitro consultou o VAR e anulou o lance, alegando interferência de Luciano, que estava impedido. Entretanto, o atacante tricolor tira o corpo na hora do chute, mostrando que não tinha intenção em interferir.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi informado no relato sobre Athletico-PR x Grêmio, o jogo estava empatado no momento do lance polêmico entre Geromel e Wellington, e não 2 a 0. O erro foi corrigido.
ESPN, Ei PLus e Fox Sports

Assista aos jogos e programas de ESPN, EI Plus e Fox Sports sem TV a cabo.

Mais Futebol