Topo

Futebol


Bolsonaro, Doria, Crivella... políticos que 'provocaram' clubes de futebol

20/08/2019 12h23

Na última semana, uma polêmica tomou conta do mundo político e esportivo. O Ministro da Educação, Abraham Weintraub, ironizou no Twitter a torcida da Portuguesa ao comentar sobre os protestos realizados por estudantes na Avenida Paulista pelos cortes no setor educacional.

Recentemente, o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, provocou o Vasco ao citar os seguidos rebaixamentos do Cruzmaltino à Série B. O LANCE! relembra esses e outros casos de políticos que 'cutucaram' times de futebol ao longo da história.

Abraham Weintraub x Portuguesa

O Ministro da Educação, Abraham Weintraub, ironizou os protestos feitos na terça-feira (13), na Avenida Paulista contra cortes na educação realizadas no mesmo dia pela UNE (União Nacional dos Estudantes). Na piada, o político citou a Portuguesa, tradicional clube da cidade de São Paulo, que completa 99 anos nesta quarta-feira (14). Abraham ironizou o número de manifestantes, os comparando com a torcida da Lusa. Em seguida, ao corrigir a grafia da palavra "kombi", afirmou que, quando escreveu o comentário, "estava rindo".

O clube paulista não deixou barato e respondeu ao tweet do ministro, ressaltando a história do clube e corrigindo Abraham, que havia escrito Portuguesa Futebol Clube ao se referir à equipe. O nome correto do clube é Associação Portuguesa de Desportos.

Marcelo Crivella x Vasco

Em maio desse ano, o prefeito do Rio de janeiro, Marcelo Crivella, fez uma 'brincadeira' com o Vasco. Na ocasião, o político disse que iria mudar o nome da ciclovia Tim Maia para Vasco, porque 'estava caindo muito'. Numa das quedas, duas pessoas morrem na ciclovia.

- Tem muito vascaíno aqui, não? Eu queria até consultar vocês. O pessoal está me sugerindo aqui de colocar o nome da ciclovia de Vasco da Gama. Está caindo muito - afirmou o prefeito.

Em nota, o Vasco repudiou a declaração de Crivella, além de se solidarizar com as vítimas do acidente na ciclovia.

Ibaneis Rocha x Vasco

Uma declaração do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), revoltou os torcedores vascaínos no último sábado, após o 'Clássico dos Milhões' no Mané Garrincha, em Brasília. O político, torcedor do Flamengo, chamou o Vasco de "timinho" que "nunca deveria ter saído" da Série B, em vídeo publicado nas redes sociais.

- Hoje, o Vasco mostrou o que ele é. Um time que merecia ter se mantido na segunda divisão. Subiu não sei por qual motivo. E agora, nós flamenguistas de coração, vamos fazer ele descer novamente para o lugar onde jamais deveria ter saído - comentou o político.

Bolsonaro x Corinthians

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, brincou com o Corinthians em uma live realizada no Facebook em julho. um jovem que disse se ser espanhol comentou com o presidente que torce para Barcelona e Palmeiras. Na ocasião, Bolsonaro ia assistir a partida entre Palmeiras e Vasco pelo Brasileirão.

Quando o jovem revelou ser fã do volante palmeirense Felipe Melo, o presidente falou sobre a amizade que mantém com o jogador. Em seguida, ao ser perguntado pelo jovem sobre o Corinthians, o presidente aproveitou para cutucar o time que é rival do Palmeiras.

- Oposição é o Corinthians. Pode ficar tranquilo, pessoal do Corinthians, não vamos tomar o Itaquerão não, tá ok?! - respondeu o político em tom de brincadeira.

João Dória x Palmeiras

Em abril de 2017, o então prefeito de São Paulo, João Dória, aderiu a brincadeira do 'Palmeiras não tem Mundial'. O mandatário fazia um vídeo ao vivo em sua conta no Instagram, onde respondia questionamentos de cidadãos paulistanos. Entre as perguntas, surgiu a questão:

"Sr. Prefeito, e a questão do Palmeiras que não tem mundial, o que pode ser feito?" perguntou o seguidor.

A pergunta passou desapercebida na transmissão, mas depois, João Dória, que é santista declarado, entrou na brincadeira pelo seu Twitter, onde printou o questionamento e respondeu.

"Não pude perder a piada! Parabéns Vitor Paiva (que fez o questionamento) pelo bom humor! #PeixeTemMundial" - escreveu o político.

Mais Futebol