Topo

Cuca fala em ter até "17 titulares" no São Paulo: veja os mais usados

Cuca, técnico do São Paulo - Marcello Zambrana/AGIF
Cuca, técnico do São Paulo Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

30/07/2019 09h43

O duelo contra o Fluminense, no último sábado, foi o 17º de Cuca à frente do São Paulo e o primeiro em que ele usou a mesma escalação da partida anterior. Isso quer dizer que o técnico encontrou seus 11 titulares? Não exatamente.

"Esse conjunto que queremos não precisar ser de 11. Pode ser de 15, 16, 17 jogadores que você esteja sempre utilizando", disse ele.

Embora os titulares tenham sido exatamente os mesmos nas partidas contra Chapecoense e Fluminense, os jogadores que saíram do banco foram fundamentais nas vitórias por 4 a 0 e 2 a 1, respectivamente. Everton e Toró, que entraram nas duas ocasiões, inclusive são candidatos a iniciarem jogando contra o Santos, dia 10 de agosto, no Morumbi. Até lá, o Tricolor terá dias preciosos para trabalhar e fazer ajustes - não jogará no próximo fim de semana devido à viagem do Athletico-PR para o Japão, onde disputará a Copa Suruga.

Veja abaixo, posição por posição, quem são os atletas que mais têm sido usados por Cuca. Ele já acionou 29, sendo que quatro já não compõem o grupo atual (Gonzalo Carneiro, Jucilei, Nenê e Brenner).

Tiago Volpi é o mais absoluto dos titulares até agora: foi titular nas 17 partidas de Cuca à frente do São Paulo. Jean, Lucas Perri e Júnior ainda não receberam oportunidades do treinador.

LATERAIS

A lateral esquerda tem dono: Reinaldo foi titular em 16 dos 17 jogos de Cuca. Só ficou fora da partida de ida contra o Bahia, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, para ser poupado. Foi a última vez que Léo, reserva imediato do setor que entrou em dois jogos com o treinador no Paulistão, foi utilizado. Ele não aparece em campo há oito partidas.

A disputa na lateral direita é maior. A vaga no momento é de Igor Vinícius, titular nos últimos dois jogos e em outros sete, além de ter saído do banco uma vez. Antes de pedir para não ser fixado no setor, Hudson o ocupou em sete ocasiões, enquanto o jovem Walce foi escalado uma vez por ali. Cuca ainda espera um reforço.

ZAGUEIROS

Bruno Alves, assim como Tiago Volpi, foi titular nas 17 partidas de Cuca à frente do São Paulo e pode ser considerado titular absoluto. Seu companheiro de zaga é Arboleda, escalado nas dez ocasiões em que esteve disponível (sofreu com lesões e foi para a seleção equatoriana).

Anderson Martins foi acionado cinco vezes, sendo quatro como titular, e Walce atuou em outras quatro ocasiões (contando a partida em que começou na lateral direita, já que foi deslocado para a zaga ainda no primeiro tempo). O jovem Morato, de 17 anos, ainda não estreou no profissional.

VOLANTES

Homem de confiança de Cuca, Tchê Tchê foi titular em todas as 13 partidas em que esteve à disposição do treinador no São Paulo. Ficou fora só uma vez desde que estreou, para cumprir suspensão. Seu companheiro tem sido o jovem Luan, titular nas últimas seis partidas e em outras quatro, além de ter saído do banco uma vez.

Hudson foi escalado como volante em sete ocasiões e agora briga com eles por um espaço. Logo terá a companhia de Liziero, que esteve à disposição de Cuca quatro vezes e foi titular em todas - ele se recupera de lesão no tornozelo direito e deve voltar a trabalhar com o grupo nesta semana.

Outros dois jogadores foram utilizados no setor, ambos na final do Paulistão: Jucilei, titular naquela partida, e Willian Farias, que entrou no segundo tempo. O primeiro está afastado do grupo à espera de propostas, enquanto o outro vem trabalhando no CT, mas também com chance de sair.

MEIAS

Hernanes foi utilizado por Cuca 14 vezes, sendo sete como titular. É o dono da posição no momento, embora encontre dificuldades para engrenar. Seu reserva imediato é Igor Gomes, acionado 13 vezes pelo treinador, mas apenas cinco como titular (a última contra o Bahia, no jogo de ida das oitavas da Copa do Brasil).

Nas últimas duas partidas, Cuca utilizou Everton mais centralizado. O camisa 22, que também pode atuar aberto pelo lado esquerdo, soma 14 partidas com o treinador, sendo 11 como titular. No momento, ele tenta recuperar uma vaga entre os 11. Vitor Bueno, que iniciou três partidas e saiu do banco em quatro, também pode atuar por dentro.

Antes de sair para o Fluminense, Nenê foi utilizado seis vezes, sempre saindo do banco.

ATAQUE

O centroavante titular no momento é Raniel, que estreou no intervalo do jogo contra o Palmeiras e começou jogando contra Chapecoense e Fluminense. Pablo, utilizado por Cuca apenas uma vez, suportou só os 45 minutos iniciais contra o rival do Palestra Itália e se machucou. Quando retornar, vai esquentar a briga pela posição de 9.

Pelo lado direito do ataque, praticamente não há disputa: Antony foi utilizado nas 13 vezes em que esteve à disposição de Cuca, só uma saindo do banco (poupado, começou no banco na ida contra o Bahia pela Copa do Brasil). Só não jogou mais vezes por ter ido para o Torneio de Toulon com a Seleção Sub-20.

Na ponta esquerda, quem tem jogado é Alexandre Pato. Depois de quebrar um galho como centroavante, posição em que não se sente confortável, o camisa 7 tem sido escalado em sua função preferida. Até o momento, jogou as 13 partidas em que esteve disponível, sendo 12 como titular.

A concorrência, no entanto, é grande. Toró tem entrado (bem) por ali e agrada a Cuca, técnico responsável por sua estreia como profissional: são 13 jogos, sendo nove como titular. Everton também pode ser opção para essa vaga.

Helinho (quatro partidas saindo do banco e uma como titular), Calazans (duas partidas saindo do banco e uma como titular) e Everton Felipe (duas partidas saindo do banco e três como titular, todas na reta final do Paulistão) estão correndo por fora.

Dois atacantes utilizados por Cuca já saíram: Brenner, que entrou em uma partida, foi para o Fluminense, enquanto Gonzalo Carneiro, que entrou em um jogo e foi titular em outro, teve o contrato suspenso após ser pego no antidoping.

São Paulo