Topo

Futebol


'Vacilos' e 'assumir responsabilidade': O tom das palavras na Chape pós-derrota para o Fortaleza

20/05/2019 17h41

Os jogadores da Chapecoense até tentaram, mas ficou difícil fugir das declarações "protocolares" tamanha era a frustração de sair na frente do marcação diante do Fortaleza no último domingo e ver o adversário virar o marcador para 3 a 1 em plena Arena Condá.

O lateral-direito Bruno Pacheco pontuou que a atuação como um todo da equipe não foi ruim, mas que equívocos como o que ele assumiu ter cometido no empate do time cearense no gol de Marcinho deixaram a missão de vencer, mesmo jogando diante de seu torcedor, bastante complicada.

Bruno ainda acrescentou que, nesse momento, o mais importante é entender a responsabilidade dos erros e tentar minimizá-los mediante os treinamentos:

- É complicado, tomamos gols de falhas individuais, fizemos o primeiro gol mas, infelizmente, numa infelicidade minha, a bola escapou e tomamos o gol. Se tivesse terminado o primeiro tempo 1 a 0 poderia ter sido diferente. Aí tomamos o segundo e ficou mais difícil. A torcida cobra e resta chamar a responsabilidade e trabalhar.

O meio-campista Márcio Araújo seguiu a linha de raciocínio de seu companheiro e acrescentou que a velocidade nas jogadas de contra-ataque do Fortaleza acabou sendo determinante para o resultado final:

- Não creio que o time foi desligado. Jogamos bem mas nos momentos capitais vacilamos. Até tomar os gols a gente estava melhor. Eles foram rápidos nos contra-ataques e a gente acabou vacilando.

Seja lá qual for o motivo, fato é que a equipe de Ney Franco terá uma semana para avaliar o desempenho até o próximo compromisso pela única competição que o Verdão do Oeste terá pela frente no segundo semestre de 2019, a Série A. Isso porque o time de Chapecó volta a campo no próximo domingo (26) visitando a equipe do Cruzeiro em Belo Horizonte às 19 h (horário de Brasília).

Mais Futebol