PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Torcedores do Atlético-PR, deficiente visual e amigo visitam o CT do clube

27/11/2018 13h22

Todo final de semana, dezenas de atleticanos realizam o sonho de visitar o CAT Alfedo Gottardi, no tour dos Sócios Furacão. No último sábado, um dos atleticanos que viveram essa experiência inesquecível foi Evandro Dalques Pena. Ele é deficiente visual e contou com a ajuda do amigo Christiano Bonilha para conhecer todos os detalhes do complexo de treinamentos.

Evandro e Christiano fizeram parte do grupo de 72 Sócios que se reuniu na manhã d sáb último sábado no Espaço Sócio Furacão, no estádio atleticano. Eles seguiram em dois ônibus para o CAT do Caju, onde chegaram por volta das 9h30.

O passeio começou pela academia e passou pelo ginásio coberto, piscinas, sala de fisioterapia, departamento médico, área administrativa e galeria de troféus. Em seguida, os Sócios foram recebidos pelo presidente do Conselho Administrativo, Luiz Sallim Emed, que fez uma apresentação sobre a história e os projetos do Clube. Depois, o tour continuou com a visita aos campos de treinamentos, miniestádio, lago e capela.

Para Evandro, de 23 anos, estar no local onde os atletas do Furacão vivem o seu dia a dia de treinos e concentrações foi uma oportunidade única.

- Achei fantástico. Foi uma experiência muito boa. É o Clube pelo qual a gente torce, acompanha pelas mídias, mas não conhece a estrutura que é oferecida aos jogadores. Foi espetacular. Eu sempre fui atleticano, porque minha família toda torce e eu sempre acompanhei pelo rádio - afirmou.

Evandro já teve a oportunidade de ir ao estádio em partidas do Furacão e estará presente novamente em breve.

- Fui convidado pelo presidente Sallim para assistir a um jogo no camarote da diretoria. Será mais um sonho realizado. É algo que eu nunca imaginava, estar ao lado da diretoria do time que eu acompanho desde pequeno - comemorou.

Christiano, de 22 anos, acompanhou Evandro ao longo de todo o trajeto pelo CAT do Caju, descrevendo para o amigo todos os detalhes.

- Conviver com ele, ir aos jogos, conversar sobre o Atlético, é muito gratificante. Acredito que se muitas pessoas ajudassem o próximo a gente ia fazer um mundo muito melhor. Eu também não conhecia o CAT e estou impressionado. Só por fotos não tem como ter a noção. Levei ele para sentir a rede, os gramados, os equipamentos. Foi muito legal - disse.

O tour pelo CAT do Caju acontece sempre aos sábados pela manhã e teve seu número de participantes ampliado em 2018. Somente neste ano, mais de 4.300 atleticanos já tiveram a oportunidade de conhecer pessoalmente o local onde os atletas do Furacão, de todas as categorias, vivem o dia a dia.

Esporte