PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Joelinton é a esperança do Hoffenheim contra o Shakhtar: 'Jogo mais importante da temporada'

27/11/2018 07h50

O Hoffenheim joga suas fichas na Liga dos Campeões nesta terça-feira, às 18h (de Brasília), quando enfrenta o Shakhtar Donetsk, na Alemanha. Um simples empate pode deixar os germânicos fora da briga por um lugar nas oitavas de final.

O Manchester City lidera o Grupo F com nove pontos, seguido pelo Lyon, que tem seis. As duas equipes se enfrentam também na terça-feira, na França. Em terceiro está o Hoffenheim, com três. O Shakhtar amarga a lanterna, com dois.

Com oito gols na temporada, o brasileiro Joelinton é uma das esperanças do Hoffenheim para sair com a vitória e manter a equipe com chances de classificação. Em entrevista ao LANCE!, o atacante fala sobre a experiência no futebol austríaco e o bom momento na Bundesliga.

LANCE! - Você vive grande momento no Hoffenheim e já fez quatro gols na Bundesliga, em um total de oito na temporada. Qual o segredo da boa fase?

Joelinton - Acho que é o foco no trabalho e a dedicação diária nos treinos e a aplicação disso nos jogos. O nosso time é muito forte e entrosado, além de termos um grande treinador no comando. Acho que isso tudo ajuda nessa boa fase que estou vivendo.

Você ficou duas temporadas emprestado ao Rapid Viena antes de voltar ao Hoffenheim. Como essa passagem pelo futebol austríaco foi importante para se adaptar e chegar com tudo na Bundesliga?

Foi um período importante para que eu me adaptasse ao futebol europeu, ao clima, idioma. Saí muito cedo do Brasil e essa rodagem que tive pelo Rapid me fez amadurecer muito, tanto dentro quanto fora de campo, para chegar mais preparado ao Hoffenheim nessa temporada. Sou grato por tudo o que vivi e aprendi nesses dois anos de Áustria.

Na pré-temporada, você fez grandes jogos e ficou de vez no Hoffenheim. Estar bem durante a preparação foi fundamental para permanecer no clube? Como foi o papo com o treinador?

Sem dúvidas, eu sabia que essa pré-temporada seria fundamental para a definição do meu futuro nesse ano. Retornei da Áustria e tinha a noção que seria a minha chance de agarrar a oportunidade de defender o Hoffenheim nesta temporada e, junto com o apoio do treinador e da comissão técnica, procurei dar o meu melhor nos treinamentos e nos amistosos para garantir meu espaço na equipe. Graças a Deus as coisas aconteceram de uma forma positiva e hoje defendo esse grande clube.

Você fez um gol importante na Liga dos Campeões, nos acréscimos contra o Lyon. Esse lance foi a credencial para ganhar motivação e atenção dos rivais e da imprensa local? Como é atuar na competição?

Talvez tenha sido o gol mais importante da minha carreira, por ter sido o meu primeiro na Liga dos Campeões e por manter a nossa equipe viva na competição. Jogar a Champions é um dos melhores momentos da carreira de um atleta profissional, pois é o maior torneio de clubes do mundo, e aquela foi uma sensação que dificilmente se apagará da minha memória.

Logo depois, fez dois gols no Bayer Leverkusen, fora de casa, pelo Alemão. Como o estilo de jogo do Hoffenheim ajuda para você fazer os gols no ataque?

Nosso time é muito organizado em campo, com muita atenção na hora da marcação e saindo rápido no contra-ataque, mas trabalhando a bola com inteligência. Busco participar bastante da partida, indo buscar o jogo também, e me posicionar da melhor maneira possível para aproveitar a chance de gol quando ela aparecer. É um trabalho em conjunto que dá resultado para a nossa equipe.

Na próxima terça-feira, o Hoffenheim joga suas fichas na Liga dos Campeões diante do Shakhtar Donetsk, em casa. O que esperar desse jogo?

Sabemos que é o nosso jogo mais importante da temporada até o momento. Por atuar em casa, diante da nossa torcida, e por valer a nossa sobrevivência na competição, vamos ter que ir em busca dos três pontos. Contamos com os nossos torcedores para mantermos viva essa esperança de avançar para as oitavas da Champions.

Você vem sendo testado pelo técnico Julian Nagelsmann fora de sua posição, atuando mais recuado. Como você vê essa mudança? Acredita que pode ser benéfica para você na Bundesliga?

O que eu mais quero é estar em campo ajudando o meu time, independente do posicionamento em campo. É claro que a minha melhor característica é a finalização a gol, atuando como referência, mas estou me adaptando bem à função que venho exercendo e todo o grupo confia no nosso treinador, respeitando e acreditando nas convicções que ele tem sobre o nosso estilo de jogo.

Na Alemanha, a imprensa já o compara a Roberto Firmino, que também iniciou sua trajetória no futebol europeu pelo Hoffenheim? Você espera seguir a trajetória dele e migrar para um time maior no futuro?

Para mim é uma honra ser comparado ao Firmino, que é um jogador de altíssimo nível e uma das referências da posição no futebol mundial hoje em dia. Mas quero escrever a minha própria história por aqui, renovei meu contrato com o Hoffenheim e, no momento, quero deixar meu nome marcado aqui no clube.

O técnico Tite vem observando diversos novos jogadores para este novo ciclo da Seleção, que terá a Copa América no meio do ano que vem. O que você deve fazer para ser lembrado pelo treinador em futuras convocações?

Vestir a camisa da Seleção Brasileira é o sonho de qualquer jogador de futebol, e comigo não é diferente. Mas sei que uma convocação é consequência de um trabalho bem feito no clube, por isso busco dar o meu melhor no dia a dia. Sei que atuo em uma das principais ligas do mundo e que a visibilidade é grande, então vou continuar buscando o meu melhor por aqui para, se a oportunidade aparecer, agarrar com todas as forças e representar bem meu país.

Esporte