PUBLICIDADE
Topo

Esporte

PSG vence a oitava e bate recorde de melhor início da história do Francês

29/09/2018 14h10

O PSG segue irresistível no Campeonato Francês. Neste sábado, a equipe contou com dois gols de Neymar para bater o Nice, fora de casa, por 3 a 0. Foi a oitava vitória nos primeiros oito jogos, o que garante ao time da capital o melhor início da história da Ligue 1.

Ao que tudo indica, o PSG não terá adversários na competição. Com apenas oito jogos disputados, os comandados de Thomas Tuchel somam 24 pontos e abrem nove do segundo colocado Saint-Étienne. O Nice está em 11º, com apenas dez.

O treinador pôde contar com a volta de Mbappé, que cumpriu três jogos de suspensão no Francês. Com o jovem disponível, ele pôde dar descanso a Cavani, que ficou no banco. Outra novidade foi no esquema tático, com três zagueiros (Kehrer, Thiago Silva e Kimpembe) e Marquinhos como volante. Nas alas, Nkunku e Diaby. No Nice, Balotelli ficou como opção.

Os jogadores não pareceram estranhar a nova formação tática. O esquema deu liberdade para os alas avançarem como pontas. Di María e Neymar jogavam soltos, com Mbappé mais enfiado no comando de ataque. O PSG chegou ao primeiro gol aos 22 minutos. Nkunku fez jogada pela direita e cruzou. Diaby ajeitou para Neymar bater colocado da entrada da área. O camisa 10 balançou a rede novamente no fim da primeira etapa, mas o juiz anulou o gol do brasileiro.

O Nice voltou com Balotelli no comando do ataque, mas o italiano não chegou a tocar na bola antes do segundo gol do PSG. Di María enfiou para Mbappé, que tirou do goleiro. Na finalização, a zaga cortou, mas Nkunku pegou o rebote e guardou.

A situação ficou ainda pior para o Nice aos 14 minutos, quando Cyprien, que havia entrado ainda na etapa inicial, acabou levando o segundo amarelo e foi expulso. Com um a mais, o PSG sobrou e não teve problemas para criar inúmeras chances de gol.

O goleiro Benítez passou a se destacar e parou Neymar em dois lances, fazendo defesas incríveis e evitando uma goleada em casa. Nos acréscimos, ele nada pôde fazer quando Mbappé apareceu livre e rolou para o brasileiro só empurrar para o gol.

Esporte