PUBLICIDADE
Topo

Esporte

E(L!)eições 2018 - Henrique Meirelles: 'Recuperação econômica estimulará a criação de projetos esportivos'

28/09/2018 07h00

Os planos de estímulo ao esporte de Henrique Meirelles passam pela confiança na recuperação econômica do Brasil. A expectativa de maior geração de empregos e do fortalecimento de projetos são alguns dos objetivos do candidato à presidência pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Além disto, Meirelles garante a manutenção de programas como o Bolsa Atleta e a AGLO e diz que não haverá mudanças drásticas no Ministério do Esporte.

O LANCE! traz, nesta sexta-feira, a quinta entrevista com candidatos à presidência da República. Foram feitas dez perguntas por e-mail - iguais para todos - a respeito de planos de desenvolvimento e futuro do esporte no país.

A divulgação das entrevistas ocorre em ordem alfabética. O próximo candidato será João Amoêdo, do NOVO.

LANCE!: Quais são os seus planos para desenvolver o esporte no Brasil, tanto de base quanto de alto rendimento?

Henrique Meirelles: A formação esportiva deve começar nas escolas, garantindo o acesso de crianças e jovens às diferentes modalidades esportivas, seja utilizando a infraestrutura já disponível nos estabelecimentos de ensino, seja por meio de parcerias com entidades empresariais. Além do caráter de fortalecimento de valores saudáveis, a promoção de competições de modalidades olímpicas em eventos escolares pode servir para a identificação de talentos que possam se desenvolver como atletas de alto rendimento.

A edição da Medida Provisória 846 assegurou aumento dos recursos das loterias para o esporte após uma grande mobilização do setor, insatisfeito com os cortes que a MP 841 causaria, devido ao plano do governo federal de priorizar a segurança pública. Se eleito, o senhor pretende mexer na distribuição dessas verbas destinadas ao esporte? Se sim, de que formas?

O governo já restabeleceu o repasse de verbas das loterias para o esporte, algo como R$ 630 milhões por ano, acomodando esses valores no

Orçamento. Não há razão para mexer de imediato na fórmula de destinação do dinheiro das loterias para o Ministério do Esporte, o Comitê Olímpico, as confederações e outras entidades.

Em tempos de recessão econômica, como é possível evitar que o país caia em um declínio esportivo? Pretende manter o padrão brasileiro atual de investimentos no esporte?

Sei como fazer o Brasil retomar o rumo do crescimento econômico, com criação de empregos, aumento geral da renda e multiplicação dos investimentos. Nesse cenário, o consequente aumento de arrecadação garantirá as verbas públicas necessárias para o fortalecimento do programa de esportes nas escolas e a concessão de incentivos para atletas em desenvolvimento ou já formados. A recuperação econômica também vai estimular o lançamento de projetos esportivos pela iniciativa privada.

A CBF esteve envolvida nos últimos anos em uma série de escândalos de gestão. Ex-dirigentes já foram banidos do futebol e até presos. Que avaliação faz da atual diretoria? O governo deve intervir na gestão do futebol e da entidade? Se sim, de que forma?

A CBF é uma entidade privada e os escândalos em que está envolvida vêm sendo investigados pelas autoridades competentes aqui e no exterior. Como registrado na pergunta, os responsáveis por desvios já estão sendo punidos. Por isso, a princípio, não vejo razão para o governo federal cogitar uma intervenção. O Ministério do Esporte, claro, estará acompanhando os desdobramentos das investigações e processos que envolvem a CBF.

O que acha da atuação do Ministério do Esporte? Pretende manter o investimento em planos de incentivo direto aos atletas, como o Bolsa Atleta?

O Ministério do Esporte vem desempenhando seu papel de forma adequada. A

princípio, portanto, não vejo razão para grandes mudanças.

Em um eventual governo seu, o Ministério do Esporte ficará a cargo de uma pessoa com forte conhecimento sobre o assunto ou utilizada em barganha?

Tenho experiência na formação de equipes de excelência. Foi assim quando estive na iniciativa privada, no Banco Central e no Ministério da Fazenda. E vai ser assim no meu governo. O Ministério do Esporte será comandado por um craque.

O governo federal é responsável pela gestão de boa parte das instalações utilizadas nos Jogos Rio-2016, por meio da Autoridade de Governança do Legado Olímpico (AGLO). Como pretende administrá-las e que medidas tomará para que a população e os atletas do país usufruam do legado do megaevento? A AGLO será mantida caso seja eleito?

A AGLO será mantida, pois desempenha um papel fundamental na administração do legado deixado pelos Jogos do Rio. A utilização das instalações e equipamentos olímpicos pode ser fortalecida por meio de mais parcerias com a iniciativa privada.

Quais são seus planos para evitar que o legado da Copa do Mundo de 2014 seja abandonado?

Todos os estádios da Copa são administrados pelos Estados, que em muitos casos já fizeram parcerias com a iniciativa privada para a sua exploração. O Ministério do Esporte vai acompanhar mais de perto esse processo para garantir que o interesse da população seja preservado. As obras de mobilidade urbana também foram de responsabilidade dos governos estaduais. O Ministério do Planejamento fará um levantamento da situação delas para definir se algo pode ser feito pelo governo federal nos casos de subaproveitamento ou mesmo de falta de conclusão dos trabalhos.

O governo brasileiro vem "socorrendo" clubes financeiramente em medidas como o Profut. O que acha do programa? O seu governo dará suporte aos clubes do País? De que formas?

O apoio oficial aos clubes já está em níveis suficientes. Os clubes, como a CBF, são entidades privadas. E em todo o mundo, no futebol e em outras modalidades, estão profissionalizando a gestão, adotando modelos empresariais lucrativos. As próprias regras da Fifa hoje induzem as agremiações a buscar esse caminho.

A partir de 2019, clubes que não tiverem um plantel de futebol feminino não poderão disputar a Libertadores. Acha que essa medida é um incentivo eficaz para o desenvolvimento da modalidade no país? Em um eventual governo seu, os esportes olímpicos e o futebol feminino terão alguma atenção?

O Ministério do Esporte já tem políticas definidas tanto para os esportes olímpicos quanto especificamente o futebol feminino. Essas políticas serão mantidas e aperfeiçoadas na medida da disponibilidade orçamentária do governo.

QUEM É

Nome completo: Henrique de Campos Meirelles (MDB)

Nascimento: 31/08/1945 - Anápolis (GO)

Vice: Germano Rigotto (MDB)

?Coligação: Essa É a Solução (MDB / PHS)

Ocupação declarada: Engenheiro

Bens declarados: R$377.496.700,70

NO ESPORTE

Times de coração: Flamengo e Santos

Ídolo no esporte: Pelé

Esporte