PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Acusado de matar palmeirense em 2005, ex-presidente da Gaviões é absolvido

Câmera no metrô Tatuapé flagra tiro em briga entre torcidas, em 2005 - Reprodução
Câmera no metrô Tatuapé flagra tiro em briga entre torcidas, em 2005 Imagem: Reprodução

27/09/2018 12h52

A 1ª Vara do Júri da Capital absolveu, na última quarta-feira (26), o ex-presidente da Gaviões da Fiel Rodrigo Azevedo Lopes Fonseca, o Diguinho, pela morte de um torcedor do Palmeiras em 16 de outubro de 2005, na capital paulista.

O corintiano foi acusado de atirar em Diogo Lima Borges, o Munhoz, da torcida Mancha Alviverde, durante uma briga na estação Tatuapé do metrô, na Zona Leste. Aos 33 anos, Diguinho foi julgado no Fórum Criminal da Barra Funda, na Zona Oeste, e absolvido por quatro votos a três pelo júri popular.

O promotor Rubens Marconi disse que irá recorrer da decisão anunciada pelo juiz Luís Felipe Vizotto Gomes. Já o réu negou ter cometido o crime e alegou ser inocente.

A briga aconteceu antes do clássico entre Corinthians e Palmeiras, em 2005, no Morumbi. A estação Tatuapé foi invadida por corintianos, em um ataque combinado pela internet. Ao sair do trem, Diogo foi baleado pelas costas e não teve muito tempo de vida. Mesmo sendo socorrido, o palmeirense faleceu no hospital. A arma utilizada no crime nunca foi encontrada.

Ao todo, 54 torcedores foram detidos pela Polícia Militar e liberados em seguida. Junto ao grupo foram apreendidos pedras, pedaços de madeira e barras de ferro.

Esporte