PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Junto a CBF, Grêmio busca "livrar" Everton de atender convocação a Seleção Brasileira

24/09/2018 11h43

Os olhares do Grêmio estão cada vez mais atentos a possibilidade de brigar também pelo título do Brasileirão. Para isso, o clube entende como fundamental conseguir ter o atacante Everton em um embate decisivo frente ao Palmeiras no Allianz Parque do dia 14 de outubro.

Porém, para isso, o Tricolor precisa convencer a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) de "desconvocar" o atleta formado na base do clube e artilheiro do Grêmio na temporada.

Além disso, o time de Porto Alegre espera conseguir que o jogo no Rio de Janeiro frente ao Fluminense no sábado (29) seja antecipado para a próxima quinta-feira (27). Dando, assim, mais tempo a equipe de se preparar para o embate decisivo na Libertadores diante do Atlético Tucumán na Arena em 2 de outubro.

Tamanha é a urgência nos dois pedidos feitos pelo Grêmio que, depois do triunfo por 3 a 2 contra o Ceará, o presidente Romildo Bolzan chegou a falar em "desequilíbrio" de convocação de Everton sendo a única de um clube brasileiro na sequência de amistosos dessa data FIFA:

- Há desequilíbrio para o Grêmio, sim. Se nos cobram que o Grêmio não tem vontade (de disputar o Brasileirão), mas a própria organização nos tira um jogador e somente um brasileiro. Num dia em que o Everton não está aqui, temos o Palmeiras, com possibilidade de ser campeão do Brasileiro. Procuramos nos preservar, porque queremos estar vivos.

- Vamos tentar antecipar o jogo contra o Fluminense para quinta-feira, para jogar tranquilamente a Libertadores. Entendemos que o jogo de terça é extramente importante. Ninguém pode garantir que o Tucumán não possa fazer resultado. Pode fazer, sim. Temos que trabalhar esse assunto nesses termos. Se a CBF quer equilíbrio técnico, pode nos dar direito de jogar na quinta e na terça. Ter a perspectiva faz parte de uma sensibilidade política da CBF em proporcionar seus clubes - completou Bolzan.

Esporte