PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Jair celebra momento especial no Corinthians e explica trocas no time

Bruno Riganti/AGIF
Imagem: Bruno Riganti/AGIF

21/09/2018 13h21

Aos 39 anos, Jair Ventura vive um momento especial na ainda breve carreira de treinador ao comandar o Corinthians. Ele destacou esse ponto em entrevista coletiva nesta sexta-feira, quando foi perguntado sobre a importância de dirigir um dos maiores clubes do país.

"Pode ter certeza (que está especial). Como não? É um momento especial treinar o Corinthians. Daqui saiu o treinador da Seleção Brasileira. A gente sabe da visibilidade. Você fica feliz, só não fica quando não ganha. A gente sabe que o céu e o inferno aqui é ainda maior. Espero ter mais o céu", declarou o comandante.

O treinador comandou o Corinthians em três jogos, com uma vitória (Sport), um empate (Flamengo) e uma derrota (Palmeiras). Agora, tem sequência importantíssima para a temporada, domingo contra o Internacional pelo Brasileiro e quarta-feira contra o Flamengo, pela semifinal da Copa do Brasil. Ele também falou sobre isso e confirmou Mateus Vital no lugar de Roger no ataque.

"Tenho de pensar no Inter. Se eu achasse que era melhor com o centroavante, o Roger jogaria. Mas o Vital mudou o último jogo quando entrou. Eu falo muito de meritocracia, minha, porque se fosse dos atletas teria de entrar com mais de 11. Mas vou pensar sempre no melhor coletivo, e assim vamos iniciar", disse.

"A gente tem que pensar o quanto antes na parte de cima, não pode pensar na parte de baixo. Precisamos de transição muito forte contra o Inter, temos de estar precavidos, mas temos condições de buscar esses três pontos, para encostar lá em cima. E depois voltamos a pensar na Copa do Brasil, estamos próximos de disputar uma final. Depois voltamos ao Brasileiro, que é na minha opinião o campeonato mais disputado do mundo", completou.

No domingo, Jair mandará a campo a seguinte formação: Cássio, Fagner, Léo Santos, Henrique e Danilo Avelar; Gabriel e Douglas; Romero, Mateus Vital, Jadson e Clayson. Foi essa formação que ele treinou durante toda a semana, inclusive nesta sexta-feira no CT.

Confira outros trechos da entrevista de Jair nesta sexta-feira:

Semana cheia de treinos:

"A semana seria ótima para trabalhar e implementar uma série de coisas, mas o Corinthians vinha numa pegada muito grande de jogos, então foi mais uma recuperação para a gente encher o tanque, para esses jogos decisivos. O Inter é muito forte, força física. Técnica muito forte. A gente voltou a pensar no Brasileiro, importância de voltar a jogar fora. Que a gente possa usar a sequência em casa fazendo o dever de casa"

Treino de defesa e ataque

"A situação ofensiva tem de ser trabalhada por conta de o Corinthians ser uma das equipes que menos finaliza no campeonato, mas não pode ser assim muito rápido. E não podemos trabalhar só isso, tem de ser as duas partes. Teve semana cheia, mas não podemos colocar muitas informações para o trabalho"

Sobre Tite não ter convocado Cássio e Fagner para a Seleção Brasileira:

"Se eu estivesse no lugar do Tite, eu iria querer convocar. Do lado de cá, não iria querer. Tem de olhar dois lados. Eu não fiquei chorando. Mas claro que se der para conciliar, não desfalcar os times, fica bom para todo mundo. Mas não acho que ele tem de deixar de convocar, porque tem de levar os melhores"

Sobre Mateus Vital e a necessidade dos meias chegarem à área:

"Fizemos um treino hoje, é dos meias pisarem muito na área, cobro bastante deles. Não só meias como volantes, o Paulinho faz muito bem. Tive o Bruno Silva, o João Paulo, o Pituca no Santos. O Inter tem muito bom. Esses caras estão ocupando espaço dos meias, na Seleção não tem 10, e tem esses médios. E o Vital se encaixa nisso, ele tem que organizar, mas também pisar na área, é importante, que eles se aproximem, nesse jogo a gente tenha o maior número de jogadores na área adversária".

Esporte