PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Ao L!, Lisca passa confiança ao Ceará: 'Temos condições de ficar na Série A'

21/09/2018 07h30

"Saiu do hospício, tem que respeitar... Lisca Doido é Ceará". O canto da torcida do Vozão já mostra que o técnico é respeitado e ovacionado. Conhecido como Lisca Doido, o treinador do clube cearense, que é natural de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, ganha ainda mais notoriedade no Nordeste. Isso porque ele vem conseguindo bons resultados nos últimos jogos do Campeonato Brasileiro e garante que o time pode se manter na Primeira Divisão. Em entrevista exclusiva ao LANCE!, o comandante ressaltou que a equipe tem qualidade e destacou o segundo turno disputado pelo grupo.

- Acreditando no trabalho e provando jogo a jogo que dentro do campo temos qualidade para enfrentarmos todos adversários e ganharmos jogos. No segundo terço da competição pós-Copa estamos em quinto e no segundo turno somos terceiro, mas como nosso primeiro terço foi muito ruim nossa posição é de rebaixamento, mas mostra que temos condições de brigar para permanecer - disse, destacando o que o time precisa fazer ficar na Série A.

- Manter a qualidade de atuações e caprichar no último terço da competição para ganharmos mais cinco jogos e empatarmos um. Difícil, mas não é impossível - completou.

Antes mesmo de chegar ao Ceará este ano, Lisca já tinha vestido a camisa do Alvinegro. Há três anos, o técnico teve a mesma missão: livrar o time da zona de rebaixamento, só que na Série B, e foi cumprida com êxito. O clube nordestino pontuou 45 pontos para permanecer na Segunda Divisão.

- Como em 2015 conseguimos permanecer na Série B em que a possibilidade de rebaixamento era de 98%. Todos sabiam que o Ceará tinha dificuldades e iria me fazer o convite novamente. Fiquei muito feliz em retornar para o clube e tentar a permanência agora na série A - relembrou.

Neste retorno ao Ceará, poucos departamentos internos se alteraram. Apenas um novo restaurante foi construído. Porém, segundo o treinador, a estrutura é boa apesar da desigualdade em comparação aos outros clube, e se conseguir garantir a permanência, colherá os frutos.

- A estrutura é boa e foi construído um restaurante novo, mas ainda carece de um crescimento em todas as áreas para acompanhar o nível dos principais clubes da Série A. O poder de investimento e as cotas de participação ainda são muito desiguais e por isso o Ceará terá muitos méritos se conseguir permanecer e será fundamental para o crescimento do clube num todo - destacou.

No momento em que recebeu a proposta do Ceará para assumir o comando técnico, o principal objetivo pedido pela diretoria alvinegra era escapar do rebaixamento. Como já tinha salvo o clube em 2015, da Série C, arriscou novamente para dar alegria à torcida do Vozão.

- O Ceará tinha 3 pontos em 27 disputados e perspectivas muito ruins para a competição e portanto o projeto apresentado foi de resgate e tentativa de permanência, como principal objetivo bem realista é definido - disse.

Antes de chegar à equipe de Fortaleza, passou pelo Criciúma, onde pediu demissão. O técnico revelou que o pensamento da diretoria do clube não estava de acordo com o dele. Com isso, deixar o cargo foi uma opção certa.

- O meu projeto profissional e meus objetivos estavam desalinhados com os objetivos do clube. Na verdade, fui para o Criciúma contratado pelo executivo Newton Drumond, que trabalhou muito tempo comigo no Internacional. Porém, 20 dias depois, ele foi para o Vasco, e depois disso, achei melhor deixar outro profissional mais alinhado com os pensamentos da diretoria para assumir e pedi demissão no início do trabalho - revelou.

O treinador tem um dos apelidos mais curiosos do futebol: Lisca Doido. Ele contou um pouco sobre como surgiu a ideia, que aconteceu no Juventude, em 2013, quando o time de Caxias do Sul estava com dificuldades, e mais um vez, o "Doido" conseguiu dar esperança ao clube.

- O apelido surgiu no Juventude, em 2013. Desenvolvemos um trabalho com muita entrega e energia num momento histórico e com muitas dificuldades no clube. A torcida reconheceu e trocou o grito de "Guerra de papo doido" para "Lisca, Lisca Doido". Foi muito legal o reconhecimento da mancha verde, maior torcida do Juventude - contou.

Para finalizar, Lisca destacou a força e o incetivo que a torcida do Ceará leva para os jogadores dentro de campo. Mesmo que a equipe esteja nos momentos de dificuldades, os torcedores continuam gritando.

- (o torcedor) É apaixonado e está junto mesmo na dificuldade se o time mostrar organização e entrega. Ceará, tua glória é lutar é o lema do clube e a torcida segue à risca e luta junto com o time - destacou.

É tão verdade, que os torcedores acabaram criando um grito para o próprio treinador: "Saiu do hospício, tem que respeitar...Lisca Doido é Ceará". O canto está contribuindo para dar força a ele e aos jogadores, que estão correspondendo dentro de campo.

O próximo desafio do Ceará e de Lisca Doido será contra o Grêmio, no domingo, às 11h, no Rio Grande do Sul, pelo Campeonato Brasileiro. Agora, o Vôzão soma 27 pontos, na 17ª posição do Campeonato Brasileiro. Caso vença e os resultados dos outros jogos ajudem, pode parar na 13ª colocação, com 30 somados.

Esporte