PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Presidente da Federação Palestina é suspenso após 'incitar ódio' a Messi

24/08/2018 18h03

Nesta sexta-feira, a Fifa anunciou uma punição dada ao presidente da Federação Palestina de Futebol (PFA), Jibril Rajoub. A entidade máxima do futebol penalizou o dirigente com uma suspensão de 12 meses sob a justificativa de 'incitação de ódio'; além disso, Rajoub terá de pagar multa de 20 mil francos suíços (cerca de R$84 mil).

Poucos dias antes da realização de um amistoso entre Argentina e Israel, em junho de 2018, o cartola pediu a torcedores que queimassem fotos e camisas da seleção albiceleste - especialmente do craque Messi.

Após a realização de protestos contrários a Israel por parte de alguns torcedores locais - que estenderam bandeiras da Palestina durante uma sessão de treinamento da Argentina -, o amistoso foi cancelado.

Vale lembrar que Palestina e Israel são inimigos em um histórico confronto por soberania territorial no Oriente Médio; o maior foco das disputas bélicas é pela cidade de Jerusalém, considerada terra sagrada tanto para o judaísmo quanto para o islamismo.

O episódio de Rajoub infringe diretamente o artigo 53 do Código Disciplinar da Fifa, que prevê suspensão mínima de 12 meses e ao menos 5 mil francos suíços de multa por 'incitação ao ódio e à violência'. Em casos de maior seriedade - onde a declaração é dada através de veículos de comunicação de massa ou às vésperas de partidas futebolísticas - a sanção financeira sobe para, no mínimo, 20 mil francos suíços.

Com a suspensão, Jibril Rajoub não poderá desempenhar o cargo de presidente da Federação Palestina de Futebol ao longo dos 12 meses estipulados pela entidade. O dirigente também não poderá comparecer a partidas oficiais no período da pena, que começa a ser contada a partir desta sexta-feira.

Esporte