PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Peres banca Jair e monitora reforços até de Copa do Mundo para o Santos

23/05/2018 13h09

O Santos não irá desligar o técnico Jair Ventura do cargo antes da parada para a Copa do Mundo, independente do que aconteça nos próximos jogos. O presidente José Carlos Peres garante que está satisfeito com o mandatário e que o trabalho do carioca de 39 anos está sendo prejudicado pela própria diretoria do clube, que tarda em contratar reforços. Ainda segundo ele, o problema é a falta de dinheiro em caixa e, enquanto os jogadores não vêm, Peres e Alvinegro trabalham com a "criatividade" no mercado.

Inclusive, atletas que disputam a Copa do Mundo estão na mira do Santos, embora o dirigente prefira não fazer promessas ao torcedor e ao treinador. Neste momento, a posição mais carente do time está no meio-campo.

- Temos um projeto. Jair não chegou de graça no clube, demoramos para contratar um técnico. Almoço com Jair toda semana. Sabemos e entendemos que ele não é o culpado. Aliás, eu nem sei porque surgiu esse termo culpado. O Santos é o primeiro time a se classificar na Libertadores, passou na Copa do Brasil. Perdemos, mas é questão de estratégia, tínhamos que testar os reservas. Jair não tem culpa, a culpa é da diretoria. Se é que ela existe, porque sem dinheiro não se faz verão. Não demos o que ele precisa, mas é porque não podemos. Não podemos ser irresponsáveis, não podemos colocar tudo a perder - explicou, e ponderou:

- Vamos investir, sim. Estamos nos mexendo. Não estamos torrando o dinheiro do clube, estamos recolocando o clube nos trilhos. Não vamos fazer nenhum exagero. Essa janela é a janela da contratação. Dia 30/6, vencem alguns contratos. Jogadores de qualidade, estamos conversando com vários. Alguns em Copa do Mundo. Vamos ter uma pausa, até foi uma sorte ter essa pausa para trazer os reforços. Jair é técnico do Santos e ficará assim. Sem a menor dúvida, se trocarmos de técnico a cada vez que perder uma partida, vamos entrar numa ciranda. Essa não será nem a primeira, nem a última crise. Torcida fica revoltada, mas faz parte.

Peres já deixou claro que tem a intenção de contratar jogadores que atuem fora do país. O México é um dos países cujo jogadores têm sido estudados pelo dirigente. De acordo com o dirigente, não há motivo para tumultuar o ambiente do clube, já que o Santos será, sim, reforçado no meio do ano e tem uma partida a menos no Campeonato Brasileiro.

- Se ganharmos esse jogo adiado, vamos lá para cima. Uma vitória coloca o time lá em cima. Essa questão do imediatismo ou que vai mal no Brasileiro não é o correta. As cinco primeiras rodadas são tão importantes quanto as cinco últimas. Jogamos contra o Bahia e o Grêmio, jogos difíceis. Questão do Grêmio foi atípico. Tentamos sair para o jogo e sair para o jogo perdendo, é complicado. O time está com vontade de jogar.

- Parece que alguns jogadores não estão, mas estão sim. Diminuímos muito o elenco, a folha de pagamento. Não ficamos como muitas opções, opções que não eram tão importantes para o clube, mas que fazem falta para um elenco recheado. Queremos dar opções para o Jair. Não pensamos em trocar o Jair, é um cara franco - finalizou Peres.

Esporte