PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Titular no Santos, Renato retorna e diz: 'Em casa é obrigação vencer'

Ivan Storti/Santos FC
Imagem: Ivan Storti/Santos FC

22/10/2017 06h00

"Em casa é obrigação vencer", disse Renato, depois de ser questionado pelo LANCE! sobre o peso das últimas partidas para o seu retorno ao Santos.

Depois de desfalcar o time por seis rodadas, o volante se recuperou dos edemas na coxa direita e no tornozelo da mesma perna e volta a ser titular com a pressão de vencer o Atlético-GO, neste domingo, às 17h, na Vila Belmiro.

No período em que esteve fora, Renato observou o time cair de posição - o Peixe estava em segundo lugar na tabela e atualmente está em quarto, empatado com Grêmio e Palmeiras- e uma quase demissão do técnico Levir Culpi. Sereno, Renato tem muito peso no grupo, já que é um dos capitães e demonstra muita segurança em campo. Contra o Dragão, será um diferencial para acalmar os ânimos do elenco.

"A gente não tem muito que fazer quando fica de fora, mas qualquer tomada de decisão por parte da diretoria respeitamos. Procuro passar a maior tranquilidade possível para todos. A pressão existe sempre, mas temos que fazer as coisas com alegria e responsabilidade, para que as coisas voltem a acontecer. Temos que mostrar resultado", disse o camisa 8.

Em sua ausência, o treinador optou por Matheus Jesus e Alison no meio de campo, porém, com a sua volta ao time, a dupla disputará a vaga de segundo volante. O camisa 5 já atuou ao lado de Renato, enquanto o reforço de 20 anos pode ter essa oportunidade na 30ª rodada do Brasileirão.

"Já fiz meio de campo com o Alison, evoluiu demais. Fico feliz por ele. Jesus tem muito talento. Quero ajudar dentro de campo sempre. Fora a gente fica torcendo pra que a equipe jogue o melhor possível... o time teve altos e baixos, é normal. Mas jogos em casa temos a obrigação de vencer", salientou.

O retorno do atleta de 38 anos deveria ter sido na partida contra o Sport, na última quinta-feira. Renato chegou a dizer para a comissão técnica que se recuperou, mas com o pouco tempo de transição, acabou vetado para reforçar o ritmo de jogo e o fortalecimento físico.

Recuperado e com sede de vitória, o Santos ganhou um novo fôlego para correr atrás do tempo perdido. E do Corinthians.

Esporte