PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Mexidas e acréscimos: a fórmula do Bota para inverter sina de gols no fim

Para Marcos Vinicius, a insistência do Bota é responsável pelos bons resultados - Marcos Bezerra/Futura Press/Estadão Conteúdo
Para Marcos Vinicius, a insistência do Bota é responsável pelos bons resultados Imagem: Marcos Bezerra/Futura Press/Estadão Conteúdo

19/10/2017 07h00

Até pouco tempo, o Botafogo versão 2017 tinha uma sina: sofrer gols na reta final das partidas, sobretudo no Campeonato Brasileiro. Mas o Alvinegro vê esse cenário mudar. Na noite da última quarta-feira, mais um capítulo desta redenção: o meia-atacante Marcos Vinicius, que entrou no intervalo, acertou uma bomba aos 50 do segundo tempo e o Glorioso roubou um empate em 1 a 1 com o Avaí, na Ressacada.

Sete dias antes, um cenário parecido. Vinicius Tanque, que também saiu do banco, fez o gol da vitória de 2 a 1 sobre a Chapecoense (mais um time catarinense) no mesmo minuto: 50. Para Marcos Vinicius, a insistência do Botafogo é a responsável por esses dois bons resultados:

"É a nossa característica não desistir dos jogos. Enquanto o juiz não apitar não tem nada definido", comentou o atleta, que esteve em campo na mais dolorida das derrotas com gol no fim: o 4 a 3 para o São Paulo, em casa. Do banco, o meia-atacante também viu o Palmeiras vencer o Alvinegro com gol no fim, no Nilton Santos, na rodada seguinte.

Apesar de estar em recuperação nesse quesito, o Botafogo ainda está em débito no quesito gols no fim. O site footstats aponta: são cinco gols do Botafogo nos últimos 15 minutos neste Brasileirão e onze contra. Além de marcar contra Chapecoense e Avaí, o Alvinegro também fez contra o Coritiba, Bahia, fora de casa, e Atlético-MG, no Nilton Santos. Nas partidas contra, destacam-se também as derrotas para Ponte Preta e Vitória.

Esporte