PUBLICIDADE
Topo

Esporte

"Nunca deixou de ter clima para o Felipe Melo no Palmeiras", diz Moisés

Robson Ventura/Folhapress
Imagem: Robson Ventura/Folhapress

31/08/2017 07h30

O Palmeiras deve definir na próxima semana a reintegração de Felipe Melo ao elenco. Afastado há pouco mais de um mês, o meio-campista será bem recebido, de acordo com Moisés. Para o camisa 10, Felipe sempre se deu bem com o restante dos jogadores.

"Tem clima para ele, nunca deixou de ter. É um cara que tem muita qualidade, é vitorioso, carrega essa coisa de querer vencer sempre, e eu gosto de jogador assim. O ambiente vai continuar igual estava antes, nunca teve ambiente ruim aqui. É que não estávamos ganhando os jogos, aí as pessoas inventam bastante coisa, mas não vai ter nada que atrapalhe", disse Moisés, em entrevista ao LANCE!.

Felipe está de folga com sua família em Jericoacoara (CE) e só deve se reapresentar na próxima semana. Oficialmente, o Verdão diz que irá aguardar o fim da janela de transferências para decretar o que acontecerá, mas nenhum clube fez oferta pelo camisa 30. O presidente Maurício Galiotte, na segunda, demonstrou seu desejo de contar novamente com o atleta, que tem contrato até o fim de 2019.

As janelas dos principais mercados na Europa fecham nesta quinta, só que na Turquia, por exemplo, é possível contratar jogadores até o dia 8. Felipe fez sucesso no país, onde foi ídolo do Galatasaray, e recebeu recentemente sondagens de equipes de lá. Sua intenção, contudo, é ficar no Brasil.

O problema do jogador no Verdão foi com Cuca. Houve na semana passada, inclusive, uma reunião para aparar as arestas entre os dois, mediada por Alexandre Mattos e Cícero Souza. O técnico já admite ser uma possibilidade reintegrá-lo, mas dificilmente irá escalar Felipe. Entre os jogadores, a vida seguirá a mesma, avisa Moisés.

"O elenco não esteve desestabilizado em momento nenhum, isso foi uma coisa que se criou. Quando o Felipe foi afastado, saiu para procurar outro clube, foi em uma conversa de homem para homem que ele teve com o Cuca. Não teve nada de grupinho, como muitos quiseram intentar. Foi apenas uma circunstância que o Cuca colocou, que não gostava do estilo de jogo, alguma coisa nesse sentido. Eles tiveram uma conversa bem franca e acabaram decidindo que ele não ficaria. Mas é um cara que todos gostam. Se voltar, vai ser muito bem recebido", encerrou.

Esporte