PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Palmeiras ganha opções após clássico e aumenta leque para Cuca

Agência Palmeiras
Imagem: Agência Palmeiras

29/08/2017 09h30

A vitória sobre o São Paulo, embora tenha gerado preocupações defensivas no Palmeiras, trouxe a Cuca outra opção de esquema tático. Em vez de montar o time com três atacantes, como acostumou-se a fazer desde 2016, o técnico investiu na escalação com quatro meio-campistas e gostou do que viu. Tendo duas semanas para treinar, ele considera que esta pode ser uma saída para a sequência da temporada.

Bruno Henrique, Tchê Tchê, Moisés e Guerra foram os escalados no Choque-Rei, com Willian e Deyverson no ataque. O camisa 19, que saiu após cansar, concorre com Thiago Santos, este favorito para partidas fora de casa. Guerra, apesar de toda a expectativa, não vive seu melhor momento.

Ainda que Cuca diga que deseja dar sequência ao time com o venezuelano e o camisa 10, o gringo terá a concorrência de Keno, que entrou bem e fez gol no domingo, além de Dudu, terminando de recuperar-se de uma lesão na coxa. Com um destes dois, a equipe se aproxima da formação no 4-3-3.

"A intenção é dar sequência à maioria dos jogadores, temos de corrigir algumas coisas atrás que podemos e devemos melhorar. Não só com os jogadores de trás, mas no início das jogadas. Estas semanas é enfatizar no trabalho técnico e confiança que ela vai retornar. Não é fácil a pressão sem resultados como imagina no curto prazo. De uma forma ou outra temos de entender que está havendo uma reformulação e a prova é os jogadores que estão entrando. Vamos dar continuidade", analisou o treinador.

Cuca buscou uma nova formação diante das dificuldades para encaixar o Palmeiras no esquema que rendeu o título brasileiro. Em 2016, o time jogou com atacantes rápidos pelos lados, um centroavante móvel e três jogadores de meio-campo. Assim, o time vinha oscilando nesta temporada.

"(Contra o São Paulo) Pensamos em ter uma posse de bola maior, mas não teríamos a velocidade como era no ano passado. O campeonato esse ano não está permitindo muito espaços. Os adversários, inclusive os grandes, passam bem a linha da bola e te engavetam. Sem dinamismo, troca de direção, se você não criar espaços, não joga. Trabalhamos bem. Com mais treinos, esse sistema vai entrar", acrescentou.

Tempo para aperfeiçoar não faltará. Por conta dos jogos da Seleção, o Palmeiras volta a atuar apenas no dia 9 de setembro, contra o Atlético-MG, em Belo Horizonte. Graças a este intervalo, os jogadores receberam folga na segunda e terça, e reapresentam-se na quarta.

Esporte