PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Thierry Henry detona postura do Arsenal: "Doloroso. Não dava para assistir"

Dean Mouhtaropoulos/Getty Images
Imagem: Dean Mouhtaropoulos/Getty Images

28/08/2017 15h37

O massacre do Liverpool sobre o Arsenal deixará marcas negativas na equipe de Londres. A acachapante derrota por 4 a 0 externou graves problemas do clube, como o da grande desconfiança do torcedor quanto a Arsène Wenger e o futuro desanimador em torno do Campeonato Inglês - em quatro rodadas, os Gunners somaram apenas três pontos e estão na 16ª posição.

Não bastasse a goleada sofrida, o Arsenal viu um de seus maiores ídolos detonar a atuação e a apatia da equipe no último domingo, em confronto realizado no Anfield. Comentarista da emissora "Sky Sport", Thierry Henry admitiu que, inclusive, não "não dava para assistir" ao jogo até o fim.

"Não dava para assistir. De vez em quando eu virava minha cadeira. Eu queria ir embora e sei que muitos torcedores, assim como eu, não nos relacionamos com esse time. Algo de cima a baixo está errado com o Arsenal e tem sido assim por muito tempo. É muito 'conforto'", comentou Henry, completando sobre a incabível presença da dupla Chamberlain e Sánchez, envolvida em diversos rumores recentes na janela de transferências:

"Simplesmente não parece correto que eles continuam no clube. Eles (Chamberlain e Sánchez) não querem fazer parte deste time. É por isso que jogadores não querem renovar seus contratos com o Arsenal, porque eles podem ver que algo está errado. Por que continuar num clube assim, que apresenta esse tipo de atuação? Eles não querem jogar assim", completou.

Por fim, Henry salientou que a situação é "dolorosa", sobretudo pela forma que o Arsenal perde - possivelmente em alusão à falta de empenho. Pressionado até por um grande ídolo, o Arsenal só volta a campo no dia 9 de setembro (por conta da Data Fifa), para encarar o Bournemouth, em casa, pelo Inglês.

 

 

Esporte