PUBLICIDADE
Topo

Esporte

'Vozes da experiência' viram aposta do Santos por nova vitória fora

27/08/2017 06h00

Foi difícil, mas o técnico Levir Culpo poderá, enfim, escalar o Santos que considera ideal neste domingo, às 19h, contra o Cruzeiro, no Mineirão, pela 22ª rodada do Brasileirão. O que faltava para o treinador era os dois jogadores mais experientes do elenco: Renato e Ricardo Oliveira.

A última vez que estiveram juntos em campo foi há três rodadas, no empate sem gols com o Avaí, também fora de casa. Na ocasião, o camisa 8 sentiu dores na coxa direita e foi substituído durante o jogo. Na última rodada, Ricardo Oliveira foi desfalque por causa de uma forte pancada nas costas, dada acidentalmente por Renato, durante um treinamento.

Unidos de novo, os capitães do time se reencontram para tentar acabar com o jejum de gols que já dura três rodadas e com a interrupção de vitórias como visitante. A última foi exatamente em Belo Horizonte, mas contra o Atlético-MG, há mais de um mês.

- Vai ser um jogo difícil e no segundo turno vitórias fora de casa podem ajudar muito lá na frente. Vamos enfrentar uma grande equipe, finalista de Copa do Brasil, mas vamos em busca dos três pontos - disse Renato.

Uma vitória sobre a Raposa deixaria o Peixe com a mesma pontuação que o Grêmio por seis dias, já que o Tricolor gaúcho só joga no dia 2, pois o gramado de sua arena está sendo preservado para receber o jogo da Seleção Brasileira.

Já o Peixe só voltará atuar no dia 10, quando enfrenta o Corinthians. Neste período, terá três dias de folga e usará o restante para aprimorar o desempenho e principalmente as finalizações.

- Vamos melhorar a parte tática, vamos ver o que fazemos de errado para corrigir e ter um tempo maior para a partida contra o Corinthians e, claro, melhorar na parte física - completou o camisa 8.

A temporada atual foi a que o Santos menos pôde contar com seus dois atletas mais velhos (Renato tem 38 anos e Ricardo Oliveira, 37) devido às lesões. No começo do ano, o centroavante teve caxumba, sofreu um corte profundo na orelha, tratou pneumonia e torceu o tornozelo esquerdo. Já o meio-campista sofreu com uma lesão na coxa no clássico contra o São Paulo no dia 3 de junho e voltou a sentir dores há três rodadas.

Esporte