PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Danilo ainda acredita em espaço na seleção para Copa: "há esperança"

Danilo defenderá o City nesta temporada - Josep Lago/AFP
Danilo defenderá o City nesta temporada Imagem: Josep Lago/AFP

27/08/2017 07h00

Danilo Luiz da Silva é movido a desafios. O lateral, de 26 anos, nasceu em Bicas (MG), mas já tem história para contar no mundo da bola. Ela começou a ganhar contornos de realidade no América-MG, passou pelo Santos - atuou com Neymar e ganhou a Libertadores -, atravessou o Atlântico e ganhou ainda mais brilho no Porto, e ficou ainda mais vitoriosa no Real Madrid. A mais nova delas começa a ganhar as primeiras linhas na Inglaterra, mais precisamente no Manchester City.

Após uma passagem mais discreta do que se imaginava pelo Real Madrid (as lesões iniciais e a subida de produção de Carvajal foram fundamentais para isso), fez o jogador topar o desafio de atuar em um dos centros mais badalados do futebol europeu.

Em breve contato com o Lance via e-mail, Danilo falou um pouco do que espera na nova empreitada na carreira, do fator Pep Guardiola para sua decisão de ir para o City (tinha propostas do Chelsea e da Juventus na janela de transferência do verdão europeu). O jogador, sobretudo, mostrou muita confiança de recuperar o espaço perdido na Seleção Brasileira e garantir uma vaga entre os laterais que vão defender o país na Copa do Mundo do ano que vem, que acontecerá na Rússia.

Você está acertado com o Manchester City. O que o levou a escolher o clube inglês? Em que a proposta do City era melhor que a da Juventus e do Chelsea?

O City vem montando uma equipe com jogadores jovens e de muita qualidade, com o pensamento de conquistas. Coisas grandes na Europa. Isso foi fundamental para meu acerto em vir pra cá . Tinha propostas de outras equipes mas foi decisão pessoal vir para o City.

 

O fato de poder atuar na Premier League também foi um atrativo para você escolher o Manchester City?

Sem dúvidas. Jogar a Premier League pesou para essa decisão. É uma liga muito forte e especial, e sempre tive o desejo de atuar nela.

Você será treinado pelo técnico Pep Guardiola. O que espera do trabalho com ele? Acredita que ele pode ser fundamental para você melhorar ainda mais o seu futebol? O quanto ele influenciou na sua escolha pelo City?

O Pep teve um papel importante também nessa decisão! Não por termos nos falado antes, mas por eu conhecer bem sua filosofia em termos táticos e isso me encantar! É um estilo de jogo agressivo, com as linhas subidas , e com muita posse. Da forma como eu mais gosto de jogar.

O Guardiola tem o costume de mexer constantemente no time e até na posição de origem dos jogadores. Fez isso com o Alaba e Lahm, no Bayern de Munique, e com o Kolarov, no City. Você admite jogar como meio de campo no futebol inglês? Na época do Porto, muito se falava nessa possibilidade...

Sempre fui reconhecido na minha carreira por jogar em muitas posições , e acho que isso, aliado as constantes mudanças que o Pepe costuma fazer na equipe , pode ser um fator positivo para uma boa temporada. Como sempre digo , gosto mesmo é de estar dentro, não importa a posição.

O fato de faltar um ano para a Copa do Mundo e a possibilidade de atuar com mais regularidade na Inglaterra foram fundamentais para a sua saída do Real?

Claro que a Copa do Mundo é um objetivo, e tem que ser. Mas a prioridade passa por desfrutar do futebol, me sentir bem e dar bons resultados ao clube . Assim , posso estar no bom caminho pra um retorno à Seleção e a Copa do Mundo.

Mesmo com a Seleção já classificada e com um grupo bem definido para o Mundial, vê que os jogos que restam até a convocação final são suficientes para você recuperar o tempo perdido?

Enquanto não for feita a convocatória definitiva para o Mundial, sempre há chances para mudanças e oportunidades. Vou seguir meu trabalho como sempre, buscando melhorar e fazer o melhor para minha equipe. Só assim posso ter chances de estar no Mundial.

Por que o Danilo acredita que estará na Copa do Mundo de 2018? Como vê hoje os principais concorrentes na Seleção?

A competição interna é forte e isso é importante para se ter uma equipe de qualidade capaz de conquistar a Copa. Quando o Tite entender que me necessita, estarei pronto.

Esporte