PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Após 18 jogos, Levir tem Santos ideal pela primeira vez e ganha trunfo

26/08/2017 06h00

Invicto há 14 jogos e no comando do Santos há 18 (dois meses e meio), o técnico Levir Culpi teve o desafio de ganhar o primeiro clássico do ano - contra o Palmeiras, em sua estreia, por 1 a 0 - e também de dar uma nova cara ao time titular. Depois de muitos testes, o treinador terá pela primeira vez o time considerado por ele mesmo o ideal, no domingo, contra o Cruzeiro, às 19h, no Mineirão, pela 22ª rodada Campeonato Brasileiro.

Após ter jogadores vetados pelo departamento médico e poupados, o comandante terá à disposição Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Alison, Renato e Lucas Lima; Bruno Henrique, Copete e Ricardo Oliveira.

Apesar da boa sequência sem derrotas e de ocupar a terceira colocação do Brasileiro, com 37 pontos, o Alvinegro teve tropeços que o fizeram ficar distante de líder e vice-líder. Foram três oportunidades desperdiçadas em empates, na 21ª rodada, em que Corinthians perdeu e Grêmio empatou, na 20ª, em que o Timão venceu e Tricolor gaúcho perdeu, e na 17ª, em que o Timão empatou e Santos e Grêmio se enfrentaram e ficaram no empate.

Desde o dia 12 de junho, data da apresentação de Levir no Alvinegro, o técnico teve ausências importantes no time, como as de David Braz, Renato, Zeca e Ricardo Oliveira, todos machucados, além de Copete e Bruno Henrique, poupados. O técnico ainda perdeu o volante Thiago Maia no dia 15 de julho, data da venda do volante para o Lille, da França. Apesar das dificuldades, o técnico conseguiu encaixar o time e descobriu peças no banco de reservas que o surpreendeu positivamente.

Sem a dupla de volantes, Levir apostou em Léo Cittadini e Alison no meio de campo. E para a felicidade do comandante, ambos corresponderam, tanto que foram titulares nos jogos contra o Fluminense e Coritiba, dois empates por 0 a 0- Alison ainda jogou contra o Atlético-PR, pela Libertadores, na vitória por 1 a 0.

Para ter seu principal atacante, Ricardo Oliveira, Levir Culpi teve que esperar 12 jogos. Antes, apostou em Kayke, que correspondeu sobretudo na Libertadores, em que fez dois gols na vitória por 3 a 2 sobre o Atlético-PR no jogo de ida das oitavas de final.

- Estamos entre os melhores da Libertadores. Não temos do que reclamar. O time está bem. Às vezes se joga bem e ganha, futebol é imprevisível. Estamos fortes em duas competições e poucos clubes estão nessa situação - disse Vanderlei, em tentativa de valorizar o elenco.

Levir Culpi ainda aguarda a liberação do zagueiro Luiz Felipe, que se recuperou de cirurgia no joelho direito, e do volante Matheus Jesus, que busca melhorar sua condição física.

Esporte