PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Emprestado pela quarta vez pelo Palmeiras, Mouche fecha com o Banfield

Divulgação/Banfield
Imagem: Divulgação/Banfield

20/07/2017 18h18

Pablo Mouche já está na Argentina para iniciar sua passagem pelo Banfield (ARG). Depois de jogar pelo Olímpia, do Paraguai, por seis meses, o atacante rescindiu o contrato e volta a jogar no seu país. Já é o quarto empréstimo do jogador, que tem contrato com o Palmeiras por mais dois anos.

"Espero estar à altura do que esperam, ajudar no que puder para cumprir nossos objetivos. Eu tenho as melhores lembranças do Lanús, me trataram como um rei desde o primeiro dia, passamos ótimos momentos e ganhamos um campeonato em que me senti importante. Mas é passado, agora tenho que pensar no presente e futuro da minha carreira e hoje o Banfield me abre uma porta importante para voltar ao país, estou muito agradecido. Todos fizemos um esforço grande, porque rescindi para voltar. Estou contente, feliz e com gana", disse Mouche, na chegada à Argentina.

Contratado em 2014, o atacante de 29 anos não conseguiu se firmar no Palmeiras. Em 2015, passou cinco meses em recuperação de uma cirurgia no joelho e depois não conseguiu espaço. Ao todo, foram 26 partidas e três gols pelo clube.

Nos últimos dois anos, Mouche já passou por Lanús, rival do Banfield e pelo qual conquistou o título argentino. Depois, ainda jogou no Estrela Vermelha, da Sérvia, e Olímpia neste primeiro semestre.

Ele chegou ao Verdão após sugestão do então técnico Ricardo Gareca, junto de Tobio, Cristaldo e Allione. O zagueiro voltou de empréstimo do Boca Juniors (ARG) e treina na Academia de Futebol enquanto o Palmeiras busca outra equipe para ele. Cristaldo foi vendido para o Cruz Azul (MEX) no ano passado, e Allione está emprestado ao Bahia.

O contrato de Mouche com o Palmeiras vai até o meio de 2019. Os direitos econômicos dele pertencem ao presidente Paulo Nobre, que usou recursos próprios para pagar R$ 11 milhões na operação que o trouxe ao Verdão. O dirigente só vai recuperar o dinheiro se conseguir vender o atleta. Se o valor for igual ao investido, Nobre fica com 100%. O lucro, se houver, é do clube.

Esporte