PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Jornal: Negociações de R. Teixeira estão sob suspeita de investigadores

Teixeira teria utilizado bancos de Andorra como um dos locais para fazer a lavagem de dinheiro - Fábio Motta/Estadão Conteúdo
Teixeira teria utilizado bancos de Andorra como um dos locais para fazer a lavagem de dinheiro Imagem: Fábio Motta/Estadão Conteúdo

25/05/2017 10h45

As investigações policiais em torno de Ricardo Teixeira encontraram um novo caminho sobre seu período à frente da CBF. Segundo informações divulgadas nesta quinta-feira pelo "Estado de São Paulo", o ex-dirigente teria utilizado bancos de Andorra como um dos locais para fazer a lavagem de dinheiro dos jogos da Seleção Brasileira.

O principado foi utilizado por Teixeira e pelo ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell, para transferir a renda de 24 partidas disputadas pela Seleção Brasileira. A quantia estipulada é de 8 milhões de euros (cerca R$ 29 milhões).

Porém, há informações de que o ex-dirigente da CBF não utilizou Andorra apenas como destino para suas negociações com Rosell. No principado, estariam os US$ 2,45 milhões (R$ 8 milhões) pagos por Teixeira e João Havelange de multa à Fifa para que o caso de corrupção do qual foram acusados (de fraudar a entidade em R$ 40 milhões pagos em propina pela ISL) fosse arquivado.

Quando deixou a CBF, em 2012, Ricardo Teixeira chegou a pedir oficialmente residência em Andorra, que não tem acordo de extradição com o Brasil. Para isto, chegou a fixar endereço em duas cidades diferentes. Os trâmites teriam sido acertados graças a sócios de Sandro Rosell, como Joan Besoli, que recentemente foi preso.

Porém, a autorização foi retirada após a imprensa brasileira divulgar que Ricardo Teixeira havia feito desvios de dinheiro em amistosos da Seleção Brasileiro para bancos no principado.

 

 

Esporte