PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Vice-presidente do Comitê Olímpico do Quênia é preso

22/11/2016 15h09

Foi preso, nesta segunda-feira, em Nairobi, o vice-presidente do Comitê Olímpico do Quênia e da Federação de Natação, Ben Ekumbo. A prisão decorre de investigações sobre um esquema de roubo de equipamentos esportivos por dirigentes quenianos, chegando ao equivalente a R$ 27 milhões. No momento da prisão, o político estava em casa, escondido debaixo da cama. Em sua casa e em seu carro foram encontradas caixas de tênis e uniformes esportivos que deveriam ter sido entregues aos atletas que competiram na Rio-2016.

Quatro outros dirigentes já haviam sido presos: Stephen Arap Soi (líder da equipe do país na Olimpíada), Pius Ochieng (outro vice-presidente do Comitê Olímpico do Quênia) e Francis Kinyili Paul (secretário-geral). Todos foram presos acusados deroubar kits da Nike, porém foram soltos após pagamento de fiança. Tesoureira da entidade, Fridah Shiroya também foi presa e deve testemunhar.

Na Rio-2016, o Quênia teve a melhor performance olímpica da história do país, com treze medalhas (6 ouro, 6 prata e 1 bronze), todas no atletismo. Porém a delegação ficou hospedada de comunidades cariocas após o fim dos Jogos enquanto aguardavam voltar ao país em voos mais baratos. Além disso, o chefe da delegação de atletismo, Mmichael Roptich, foi preso por exigir propina aos atletas em troca de proteção nos exames antidoping.

Esporte