PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Presidente do Corinthians se defende: 'Não é só na minha conta'

Roberto de Andrade decidiu pela saída de Cristóvão Borges - ANTÔNIO CÍCERO/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Roberto de Andrade decidiu pela saída de Cristóvão Borges Imagem: ANTÔNIO CÍCERO/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

18/09/2016 08h00

O presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, se defendeu de críticas de torcedores e de parte da imprensa pelo insucesso da equipe na temporada. O dirigente chegou a ser xingado durante o Dérbi do último sábado, assim como o diretor adjunto de futebol, Eduardo Ferreira.

Uma das principais cobranças da torcida é quanto aos jogadores vendidos. O time campeão brasileiro no ano passado foi desmanchado no início do ano e mais vendas foram feitas no meio desta temporada, casos de Elias, Bruno Henrique e André.

Roberto, no entanto, se defendeu afirmando que os atletas queriam sair.

- É consequência do futebol, não tem como (evitar). Muito simples colocar na conta do presidente que quis vender. Vocês perguntaram para os atletas que saíram se queriam ficar? Se perguntar, todos queriam sair. Não dá para colocar só na minha conta. Se surgir uma proposta muito melhor do que o Corinthians pode pagar, morar em um lugar melhor, enfim. Acertando os valores com o clube, a negociação dá certo, não é a minha vontade. As coisas acontecem, temos de contornar a medida que os problemas vão surgindo - comentou.

Questionado se o Corinthians enfrentava dificuldades para pagar salários e direitos de imagem, como em outros momentos, ele negou. O mandatário também comentou o fato de alguns reforços, como Giovanni Augusto, Guilherme e Marquinhos Gabriel, ainda não estarem rendendo o que se espera.

- Estamos devendo nada para ninguém. Se os erros foram de contratação foram de todos, quem pede os atletas é a comissão técnica - declarou.

Esporte