Botafogo perde para Criciúma e desperdiça chance de dormir na liderança do Brasileirão

O Botafogo sofreu com a "lei do ex" e pagou caro por outro vacilo. O Criciúma deu o bote e venceu o clube carioca por 2 a 1, neste sábado, no Estádio Heriberto Hülse, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Barreto, ex-Botafogo, abriu o placar em Santa Catarina logo no começo do jogo. Depois, Lucas Halter, no segundo tempo, empatou o duelo. Contudo, já na reta final, o Fogão errou na saída de bola e viu Arthur Caíke fazer o gol da vitória do Criciúma.

O Fogão, assim, vê interrompida a sequência de nove jogos de invencibilidade, somando todos os torneios. O Botafogo continua com 20 pontos e está na terceira colocação do Brasileirão. Já o Criciúma pulou para 12 pontos em nove jogos e está na 13ª colocação.

Continua após a publicidade

O duelo entre Criciúma e Botafogo

A primeira investida de mais perigo foi carioca. Aos três minutos, Tiquinho Soares, que voltou ao time após dois jogos, recebeu de Luiz Henrique na área, mas finalizou à esquerda. O Criciúma respondeu de forma fatal, aos nove minutos, e com a "lei do ex". Ronald Lopes fez grande jogada pela direita, deixou Cuiabano no chão e cruzou para Barreto. O volante, que defendeu o Fogão em 2021 e 2022, apareceu bem na área e cabeceou: 1 a 0.

O Criciúma criou novamente aos 12. Matheusinho recebeu na entrada da área e chutou. A bola foi à direita de John, com perigo. O Fogão tinha dificuldade para criar e quase se complicou ainda mais. Aos 30, Gregore perdeu a bola na entrada da área. Matheusinho driblou a marcação e fez 2 a 0. O VAR, comandado por Wagner Reway (VAR-Fifa-ES), recomendou a revisão do lance. Barreto puxou a camisa do volante do Fogão, que, confiante, parou depois na jogada. O gol foi anulado.

Continua após a publicidade

Aos 35, Óscar Romero obrigou o goleiro Gustavo a trabalhar. Ele bateu falta da entrada da área. Gustavo espalmou. Bolasie, aos 43, arriscou da entrada da área, mas mandou para fora. O primeiro tempo terminou com o Criciúma em vantagem.

O técnico Artur Jorge fez logo três mudanças no Botafogo no intervalo. Ele colocou Damián Suárez, Lucas Halter e Eduardo. Saíram Mateo Ponte, Alexander Barboza e Luiz Henrique. O Fogão empatou com uma novidade do treinador português. Aos nove minutos, após cobrança de escanteio de Óscar Romero, Lucas Halter desviou e fez 1 a 1.

O Criciúma desperdiçou chance logo na sequência, aos dez minutos. Arthur Caíke, que acabara de entrar, apareceu livre, mas cabeceou para fora. O jogo ficou ainda mais físico, mas sem muita emoção. Até que, aos 38, o Botafogo vacilou. Óscar Romero perdeu a bola. Arthur Caíke, então, foi lançado e fez 2 a 1 para o Tigre.

Aos 41, Eduardo teve a chance para empatar, mas cabeceou para fora, com perigo. Aos 48, Allano, outra alteração do Criciúma no segundo tempo, foi lançado e fez o terceiro. Contudo, a arbitragem apontou impedimento e anulou. Aos 51, Eduardo errou cabeçada. O Fogão não conseguiu chegar ao empate e viu o Tigre ficar com a vitória.


FICHA TÉCNICA

Continua após a publicidade

CRICIÚMA 2X1 BOTAFOGO

Local: Heriberto Hülse, Criciúma (SC)

Data: 22/06/2024, sábado

Horário: 16h (de Brasília)

Público e renda: 16.256 presentes / R$ 792.000,00

Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP)

Continua após a publicidade

Assistentes: Daniel Luis Marques (SP) e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP)

VAR: Wagner Reway (VAR-Fifa-ES)

Cartão amarelo: Alexander Barboza, Gregore e Óscar Romero (Botafogo) e Tobias Figueiredo, Claudinho, Allano e Gustavo (Criciúma)

Cartão vermelho:

Gols:

Criciúma: Barreto, aos 9? do 1ºT, e Arthur Caíke, aos 38? do 2ºT

Continua após a publicidade

Botafogo: Lucas Halter, aos 9? do 2ºT

CRICIÚMA: Gustavo; Jonathan (Claudinho), Rodrigo, Tobias Figueiredo e Marcelo Hermes; Barreto, Ronald Lopes (Marquinhos Gabriel), Matheusinho (Fellipe Mateus) e Trauco; Eder (Arthur Caíke) e Bolasie (Allano).

Técnico: Cláudio Tencati.

BOTAFOGO: John; Mateo Ponte (Damián Suárez), Bastos, Alexander Barboza (Lucas Halter) e Cuiabano (Hugo); Gregore, Tchê Tchê e Óscar Romero; Júnior Santos, Luiz Henrique (Eduardo) e Tiquinho Soares (Diego Hernández).

Técnico: Artur Jorge.

Deixe seu comentário

Só para assinantes