Rubiales será julgado em fevereiro de 2025 por beijo forçado em Jenni Hermoso

O ex-presidente da Federação Espanhola de Futebol (RFEF) Luis Rubiales será julgado em fevereiro de 2025 por um tribunal de Madri "pelo beijo" não consentido na jogadora Jenni Hermoso, anunciou a Justiça espanhola nesta segunda-feira (17).

A Audiência Nacional "sinalizou entre os dias 3 e 19 de fevereiro do próximo ano o julgamento do ex-presidente da Federação Espanhola de Futebol Luis Rubiales" por agressão sexual e coação pelo beijo forçado que deu na jogadora ao fim da Copa do Mundo feminina na Austrália, informou o órgão em comunicado.

Também estarão no banco de réus o ex-técnico da seleção feminina Jorge Vilda, o ex-diretor esportivo da equipe Albert Luque e o então responsável pelo marketing da seleção Rubén Rivera, que supostamente pressionaram Hermoso a minimizar a importância do beijo.

O julgamento ocorrerá em San Fernando de Henares, a leste de Madri.

O Ministério Público pede 2,5 anos de prisão para Rubiales, por crime de agressão sexual e coação, além de mais dois anos de liberdade supervisionada após o cumprimento da pena de reclusão, proibição de comunicação ou aproximação com Hermoso por quatro anos e indenização de 50 mil euros (R$ 286 mil na cotação atual) à atleta.

Já para Vilda, Luque e Rivera, o MP solicita um ano e seis meses de prisão.

Continua após a publicidade

No dia 20 de agosto, Rubiales beijou a atacante na boca diante das câmeras de todo o mundo, poucos minutos após a vitória da seleção espanhola em Sydney, na final da Copa do Mundo feminina.

O episódio causou uma onda de indignação na Espanha e no exterior, e o então dirigente renunciando ao cargo no mês seguinte.

Desde a recente reforma do Código Penal espanhol, um beijo não consensual pode ser considerado agressão sexual, categoria criminosa que agrupa todos os tipos de violência sexual.

Deixe seu comentário

Só para assinantes