Carille aponta motivo da crise, mas segue confiante no comando do Santos

O Santos está afundado em crise. Na última sexta-feira (14), o Peixe perdeu para o Operário em Ponta Grossa, por 1 a 0, e chegou à quarta derrota consecutiva na Série B do Campeonato Brasileiro.

Embora viva péssima fase, o técnico Fábio Carille mostrou confiança no trabalho exercido no clube. Ele acredita que os desfalques por lesão prejudicaram e levaram o time à crise, mas diz que manterá a "mesma linha" de pensamento.

"O trabalho segue a mesma linha. Perdemos jogadores muito importantes do nosso setor ofensivo. Hoje trouxemos jogadores que não eram nem para estar aqui, para falar a verdade. Eles estavam ausentes há um tempinho, casos de Pedrinho, Guilherme e Furch. Vieram pela necessidade", afirmou o treinador.

"A gente perdeu alguns jogadores importantes. Contra o Amazonas, por exemplo, não tivemos o Gil com uma dor na coxa. Depois veio Guilherme, Furch e Pedrinho. João Schmidt ficou alguns jogos fora. É momento de ter sabedoria, saber o que a gente já fez e o que podemos fazer. É passar toda a confiança para esses atletas entrarem dentro de campo e fazerem o melhor", acrescentou.

O comandante admite a atuação ruim do Peixe no primeiro tempo, mas, em sua avaliação, a equipe cresceu na etapa final e merecia sorte melhor.

"Tomamos um gol de bola parada, que a gente sabe que define jogos. Nos perdemos um pouco no primeiro tempo, não sei se bateu nervosismo. A gente poderia ter trocado passes com mais qualidade, mas não conseguimos. No segundo tempo fomos para o abafa, a bola passou muito na área do adversário. Fomos para a pressão, com a característica dos nossos jogadores. Mas, infelizmente, não conseguimos o gol para sair pelo menos com um ponto daqui", avaliou.

Carille não esconde que está pressionado no cargo. A derrota no Paraná mantém o Santos fora do G4 e jogou o time para a sexta posição, estacionado nos 15 pontos.

"Futebol é resultado. Sei disso. Tenho uma diretoria muito próxima, que acompanha tudo o que eu faço no dia a dia. Eles são muito presentes e isso é muito importante. Mas a gente sabe que futebol é resultado. Não tem outro caminho", comentou.

O Santos entra em campo novamente na próxima quarta-feira, contra o Goiás. O duelo está agendado para as 19h (de Brasília), na Vila Belmiro, pela 11ª rodada da Série B.

Deixe seu comentário

Só para assinantes