Organizada do Santos se reúne com elenco e diretoria e cobra reação na Série B

Na manhã desta terça-feira, membros da Torcida Jovem, a principal organizada do Santos, se reuniram com elenco e diretoria do clube no CT Rei Pelé. Os torcedores fizeram fortes cobranças em virtude do momento ruim da equipe na Série B do Campeonato Brasileiro.

Todos os jogadores do clube estiveram presentes na reunião. Incluindo até os lesionados, como o goleiro João Paulo, que foi submetido a cirurgia após sofrer uma ruptura total no tendão de Aquiles do tornozelo esquerdo e não deverá entrar mais em campo nesta temporada.

Um dos mais cobrados pelos integrantes da Torcida Jovem foi Weslley Patati. O atacante reclamou publicamente da duração de uma viagem de ônibus de Londrina a Catanduva e foi multado pela diretoria do Peixe. Patrick, que ainda não engrenou pela equipe, também ouviu reclamações.

Os torcedores também cobraram Alexandre Gallo, coordenador de futebol do Santos, e reclamaram de algumas das contratações feitas pelo clube nos últimos meses.

O presidente Marcelo Teixeira participou de parte do encontro e, posteriormente, recebeu os representantes da organizada para apresentar as medidas que serão tomadas pela diretoria para recolocar o Santos nos trilhos.

A reunião, que contou com uma escolta preventiva da polícia, aconteceu antes do treino desta manhã e terminou por volta do meio-dia (de Brasília).

Na madrugada do último sábado, após a derrota para o Novorizontino, santistas cercaram o ônibus que retornava de Novo Horizonte e chegaram a fechar um pedágio para impedir a passagem da delegação. Pedras foram atiradas, mas ninguém desceu para conversar com os torcedores.

O Santos atravessa um momento ruim na segunda divisão e amarga três derrotas consecutivas. O Peixe, porém, está na zona de acesso e ocupa o quarto lugar da tabela de classificação, com 15 pontos.

O próximo compromisso da equipe de Fábio Carille está agendado para sexta-feira, diante do Operário. A bola rola a partir das 19h (de Brasília) no Estádio Germano Kruger, em Ponta Grossa, no Paraná.

Continua após a publicidade

Veja abaixo, na íntegra, a nota divulgada pela Torcida Jovem

"Na manhã da terça, conselho, diretoria e lideranças da Torcida Jovem estiveram no CT Rei Pelé para uma conversa olho no olho com atletas, comissão e dirigentes

Essa foi uma ação decorrente da tentativa de conversa na estrada, ocasião em que ninguém se apresentou para conversa

Mesmo abrindo portas para diálogo, fomos surpreendidos pela presença ostensiva de policiamento, como se não pudéssemos entrar na própria casa

O elenco, que disse se dispor à reunião, não se apresentou inteiro, iniciando a conversa com 10 atletas, vários lesionados. A TJ deixou claro que não iniciaria sem a presença de todos, e os demais "magicamente" apareceram

Continua após a publicidade

A primeira pauta pontuada foi a displicência e desconexão da realidade dos atletas que vestem a camisa do Santos

Entendemos que parte do elenco chegou no momento de reconstrução, mas queremos e precisamos que vocês entendam: estamos aqui desde o primeiro dia de nossas vidas. Tudo que passamos está completamente ligado ao dia de hoje. Foram anos de humilhação e desaforo, e falamos: nada disso será tolerado, é guerra!

Como um dos sintomas da falta de noção, Patati foi devidamente colocado em seu lugar, ouvindo o que todo santista gostaria de falar. Assim como o Patrick, que até então mostrou que seu lugar não é aqui

O diretor de futebol também foi questionado sobre suas ações, trazendo jogadores incompatíveis ao momento, e por suas falas que colocam como objetivo 17 vitórias, pífio para um time da grandeza do Santos

O presidente Teixeira participou de parte da conversa, e posteriormente recebeu os representantes para uma conversa sobre ações a serem tomadas para recolocar o Santos nos trilhos rumo ao seu devido lugar

Como sempre é feito, a Jovem, como a principal representante de 10 milhões de pessoas, expressou seu descontentamento com a postura e os resultados, especialmente em um momento desconfortável como o que vivemos. Assim como cada santista pelo mundo, não toleraremos descompromissos com a camiseta do Santos, e exigimos pessoas que sintam o que é o momento que estamos

Continua após a publicidade

Nossa parte como torcida organizada é feita há 55 anos, e mantemos o compromisso de apoiar incondicionalmente o Santos onde e como Ele estiver"

Deixe seu comentário

Só para assinantes