PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Melânia Luz recebe homenagem póstuma e passa a integrar o Hall da Fama do COB

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

03/07/2022 16h36

A velocista Melânia Luz dos Santos, três vezes medalhista sul-americana e a primeira mulher negra a integrar a delegação brasileira em Jogos Olímpicos de Londres, em 1948, receberá o reconhecimento em homenagem póstuma e integrará o Hall da Fama do Comitê Olímpico do Brasil (COB).

Melânia já havia sido homenageada pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) em 2020, quando a Assembleia Extraordinária da entidade, num reconhecimento importantíssimo de sua participação no esporte, quebrando barreiras, após apenas 50 anos da abolição da escravatura no Brasil, entregou o título de Emérita da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt).

A família recebeu a homenagem na categoria "In Memoriam", já que a velocista, nascida a 1º de junho de 1928, no bairro do Bom Retiro, em São Paulo, faleceu no dia 22 de junho de 2016, poucos dias após completar 88 anos, também na capital paulista, de acordo com a filha Maria Emília que sempre a acompanhou.

Com a escolha de Melânia, o atletismo passar a ter seis representantes no Hall da Fama: Adhemar Ferreira da Silva, bicampeão olímpico do salto triplo, Joaquim Cruz, ouro e prata nos 800 m, João do Pulo, duas medalhas olímpicas de bronze no salto triplo, Vanderlei Cordeiro de Lima, bronze na maratona, e Sylvio de Magalhães Padilha, finalista olímpico dos 400 m com barreiras e ex-presidente do COB.

Além de Melânia, este ano também entrarão para o Hall da Fama Manoel dos Santos (natação), Marcelo Ferreira (vela), Ricardo Prado (natação), Renan Dal Zotto (vôlei), Walter Carmona (judô) e Yane Marques (pentatlo).

Os sete eleitos se juntam às 28 personalidades do esporte que já fazem parte do Hall da Fama da entidade. Os novos membros serão homenageados em eventos do COB e, em cerimônias especiais, deixarão seus pés ou mãos eternizadas em moldes que serão exibidos em uma futura exposição no Centro de Treinamento do COB. No caso de Melânia, um familiar receberá a homenagem.

O Hall da Fama do COB foi lançado em 2018 para exaltar e enaltecer a história olímpica brasileira. Os primeiros atletas a deixarem suas marcas eternizadas foram Torben Grael (vela), a dupla Sandra Pires e Jackie Silva (vôlei de praia) e Vanderlei Cordeiro de Lima (atletismo).

Futebol