PUBLICIDADE
Topo

Camisa 12 escolhida por Alisson foi de 'desafetos' da torcida do São Paulo

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

20/01/2022 06h00

O atacante Alisson está oficialmente apresentado pelo São Paulo. Em coletiva de imprensa nesta quarta-feira, o número que o jogador usará foi anunciado. Foi escolhida a camisa 12. Porém, o histórico recente da numeração não traz lembranças boas para os são-paulinos.

Um nome a ser lembrado é do goleiro Sidão, uma das apostas erradas do clube para suprir a ausência do ídolo Rogério Ceni após sua aposentadoria. O jogador chegou ao São Paulo em 2017 e saiu em 2019, sem deixar quaisquer saudades. Foram 71 atuações pelo tricolor, algumas delas muito ruins, que custaram a sua fama.

Falando em goleiros, quem também usou a contestada camisa 12 do São Paulo foi Denis, que assumiu a meta tricolor logo após a despedida de Rogério. Talvez em menor medida, mas assim como Sidão, o goleiro alternou entre boas e más atuações e passou longe de cair nas graças da torcida.

Mas não só de goleiros vive a camisa 12. Quem também a vestiu recentemente foi o atacante Pablo, logo em que chegou ao time em 2019. Na época, o jogador era visto com muita esperança pela torcida, mas atuações ruins e gols perdidos em jogos importantes o tornaram um dos mais perseguidos pelos tricolores.

Até a temporada passada, o dono da numeração era o meia Vitor Bueno, que, claro, também não chegou a viver nenhuma lua de mel com os são-paulinos. O meia, inclusive, negocia uma rescisão com o clube.

O único que fugiu à regra mais recentemente foi o atacante argentino Jonathan Calleri. O jogador, mesmo vestindo a 12, caiu nas graças da torcida em sua primeira passagem pelo clube, entre 2015 e 2016. Não a toa, sua volta em 2021 foi vista com muito bons olhos pelos tricolores.

Agora, assim como Calleri, Alisson tem a missão de afastar a fama ruim que persegue a camisa 12 no São Paulo. O jogador teve passagem de destaque pelo Grêmio e assinou com o Tricolor até dezembro de 2024.