PUBLICIDADE
Topo

Santos

Santos deve acabar com o sub-23, mas evita perder jogadores de boa projeção

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

27/10/2021 07h00

Classificação e Jogos

O Comitê de Gestão do Santos decidiu acabar com a categoria sub-23. O último elenco antes do profissional seria mesmo o sub-20. A oficialização vai depender do crivo de Edu Dracena, novo chefe do departamento de futebol.

O sub-23, criado para ser transição entre base e grupo principal, teve resultados ruins nesta temporada e acabou eliminado precocemente na Copa Paulista e Campeonato Brasileiro de Aspirantes. O comando era de Edinho e passou a ser de Pablo Fernandez em agosto. Pablo, inclusive, ainda não foi comunicado sobre seu futuro no clube. Existe a chance dele assumir o sub-20.

A ideia da diretoria do Peixe é alocar quem ainda tem idade no sub-20, promover os principais destaques da categoria ao profissional e emprestar alguns com boa projeção e de contrato longo. Vários serão dispensados.

Atletas de sucesso na base e de histórico recente irregular, como os meias Anderson Ceará e Lucas Lourenço, o atacante Matheus Moraes e o lateral-direito Sandro Perpetuo, têm futuro incerto. Eles não podem mais jogar pelo sub-20.

Jogadores como os goleiros Paulo Mazoti e Diogenes, o zagueiro Derick, os meio-campistas Ed Carlos e Luizinho e o atacante Matías Lacava, todos com passagem pelo sub-23 nesta temporada, já treinam entre os profissionais com Fábio Carille. O lateral-esquerdo Lucas Pires também deve subir.

Como sub-20 será "reforçado", o Santos prepara a rescisão de diversos jovens. Em reunião do Comitê de Gestão em setembro, decidiu-se liberar 11: Tarik Freire, Gabriel Santos Souza, Tharsso Castro, Wesley Teixeira, Cauã Santos Silva, Clenisson Doria, Rayann Matias, Gabriel da Silva Oliveira, Filipe Claudine Nóbrega, Erik Santos Oliveira e Gustavo Lima do Carmo.

Santos