PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

São Paulo espera por retorno de argentinos na próxima rodada

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

26/10/2021 08h00

Classificação e Jogos

O São Paulo vive a expectativa de contar com o retorno de dois argentinos de peso para a próxima rodada do Campeonato Brasileiro: Emiliano Rigoni e Jonathan Calleri. Desfalques no confronto com o Red Bull Bragantino, no último domingo, os atacantes tricolores vêm tendo de lidar com problemas físicos, mas não tão graves a ponto de não serem cogitados para o próximo compromisso da equipe na competição por pontos corridos.

Calleri foi substituído no fim do clássico contra o Corinthians após sentir a coxa direita, mas não foi constatada qualquer lesão depois da realização de exames de imagem, mas, sim, um edema. Desta forma, a tendência é que o artilheiro tricolor volte a ser relacionado contra o Internacional, já que o elenco terá uma semana livre para treinamentos.

Rigoni, por sua vez, está em fase final de recuperação de um estiramento na coxa esquerda. Na última semana, o argentino chegou a trabalhar com bola no CT da Barra Funda, indicando que precisará de mais alguns poucos dias para voltar a treinar com o restante do elenco.

A importância da dupla de argentinos para o ataque do São Paulo se prova através dos números. Calleri e Rigoni participaram de 50% dos gols marcados pela equipe no Campeonato Brasileiro. O primeiro balançou as redes três vezes. Já o segundo marcou quatro tentos e deu outras quatro assistências.

Caso ambos reúnam condições de jogo, o técnico Rogério Ceni poderá promover novas mudanças no sistema tático do São Paulo, passando a atuar com três atacantes, o que diminuiria a quantidade de meio-campistas da equipe. O próprio comandante tricolor admitiu essa possibilidade.

"É possível, claro que é possível, jogar Luciano, Calleri e Rigoni juntos. Quando o Rigoni puder treinar, veremos de que maneira fica melhor de encaixar o time para que esses três jogadores joguem juntos. Mas, eles podem jogar juntos, sem dúvida", disse Ceni.

São Paulo