PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Após reunião, greve é mantida e presidente do Cruzeiro segue em busca de recursos para salários atrasados

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

15/10/2021 20h32

O Cruzeiro segue mergulhado em uma crise financeira que parece não ter fim. Após retornar da Europa, o presidente Sérgio Santos Rodrigues se encontrou nesta sexta-feira com empresários para colocar um fim nos salários atrasados. Sem sucesso, a greve segue na Toca da Raposa.

A situação financeira do Cruzeiro segue delicada! Em busca de alternativas para resolver a situação dos salários atrasados, Sérgio Santos Rodrigues revelou ter se encontrado com empresários em busca de recursos.

"A nossa conversa foi muito boa. De hoje até amanhã, estamos para acertar os ajustes e divulgar o que foi conversado e foi falado de tomada de decisão. Seguimos firmes... segunda-feira, espero que na próxima reunião, a gente já saia com algo mais clara sobre salário", disse o presidente em pronunciamento oficial pelo YouTube.

Além de se encontrar com empresários, Sérgio Santos também se reuniu com os jogadores do clube para explicar a situação e prometeu divulgar o balanço financeiro semestral na próxima semana.

"Estivemos reunidos nessa manhã com os jogadores, não é uma questão que a gente quer conviver com ela... mas são aqueles detalhes que acontecem e a gente não espera. Mostrei os números aos jogadores e que serão publicados", comentou.

"Vamos, de forma inédita, publicar na segunda ou terça-feira o balanço do primeiro semestre de 2021, com algumas notas e explicações. O caminho para gestão é um caminho que a gente está trilhando para que ele dê certo", completou Santos.

Sem resolução, a situação segue suspensa e o elenco celeste continua em greve.

Viagem à Europa

O dirigente também falou sobre a polêmica viagem realizada para a Espanha e Portugal durante o mês de outubro. Sérgio Santos Rodrigues se defendeu e justificou a ação em prol do Cruzeiro.

"Fui para Madri para realizar um curso da Fifa... Fui recebido pelo vice-presidente do Real Madrid, assisti um jogo com ele, e no dia seguinte disseram que o presidente estava viajando com o salário atrasado. Uma coisa não tem nada a ver com a outra", disse.

"Primeiro porque eu não gastei dinheiro do Cruzeiro, e segundo que o clube precisa de dinheiro e é nesses lugares que a gente cria um relacionamento para que essas coisas aconteçam. Em Madri eu estava ao lado de dirigentes da Fifa e donos de clubes da Arábia, Japão, Estados Unidos, em que grandes conversas são feitas", finalizou.

Futebol