PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Executivo de futebol do Santos espera reação para poder planejar 2022: "Passo a passo"

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

16/09/2021 16h00

André Mazzuco, executivo de futebol do Santos, comentou sobre o planejamento para 2022 em entrevista coletiva virtual nesta quinta-feira.

A ideia do diretor é antecipar a montagem do elenco, mas a prioridade atual é reagir após oito jogos sem vitória. O Peixe foi eliminado do Campeonato Paulista, Libertadores, Sul-Americana e Copa do Brasil e agora só tem o Campeonato Brasileiro pela frente. Na 13ª colocação, o Alvinegro precisa se distanciar da zona do rebaixamento.

"Estamos a dois pontos do Z-4 e seis do G-6. Estou aqui há três meses e Santos sempre deixou claro que seria um ano de reconstrução. O presidente fala sobre essa necessidade. Foram problemas muito grandes resolvidos, como o transfer ban, e talvez até na A não estaríamos. Sabíamos da dificuldade e o planejamento não muda, mas temos que voltar a vencer para criar a tranquilidade. E só virá pontuando, vencendo. Esperamos passar por isso bem e fazer o Santos voltar a crescer por tudo que o presidente vem fazendo fora de campo", disse Mazzuco.

"Fazemos passo a passo. Esportivamente, terminar essa temporada sem sustos e nos recuperarmos no Campeonato Brasileiro. Queríamos avançar, estivemos nas quartas da Sul-Americana e Copa do Brasil. Queríamos, mas pelo menos estivemos em disputa. Temos que ajustar no Brasileiro para melhorar até pensando no ano que vem, porque o Brasileiro molda o calendário. Caminhando bem, podemos planejar melhor 2022. E dentro da reconstrução do clube, fazer o Santos brigar por títulos como foi nos últimos anos. Agora precisamos pensar no próximo jogo. Agora é o Ceará. Precisamos vencer e subir na tabela. Temos que ter esse senso de urgência para nos mobilizarmos e vencermos, que é o que estamos tendo. Fora de campo, o presidente e seus pares não medem esforços para deixar a melhor situação possível. Vivemos uma situação tranquila em relação aos vencimentos e isso, infelizmente, é raro no Brasil. Santos está equalizado em salários. A estrutura nos atende bem, temos bons profissionais em todos os setores. Temos total suporte e temos condições para reagir com esse trabalho iniciado pelo Fábio (Carille). Esperamos realmente que as coisas caminhem melhor nos próximos jogos", concluiu.

Futebol