PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Após quinta Olimpíada, ponta histórica da Seleção de handebol mira gravidez

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

02/08/2021 09h00

A ponta direita Alexandra Nascimento tem muitos serviços prestados à Seleção Brasileira de handebol. Em Tóquio, ela completou a participação em sua quinta Olimpíada. Agora, a jogadora irá priorizar a vida particular e o objetivo de se tornar mãe.

"Quero ser mãe e agora que acabaram os Jogos Olímpicos o meu objetivo é me concentrar, pensar no meu corpo para visualizar a gravidez. Não tenho medo do futuro. Entreguei minha vida ao handebol com muita garra, amor e prazer e faria tudo de novo", destacou.

Alexandra Nascimento teve uma carreira de muito sucesso no handebol. Jogou em alto nível por duas décadas, atuou na Europa, chegou a ser eleita a melhor do mundo (em 2012) e estava no time campeão mundial de 2013.

"Essa é a minha quinta Olimpíada, já estou com 39 anos (completa 40 em setembro). Para mim, já foi um presente participar destes Jogos junto com essa geração. O atleta tem que estar sempre se reinventando. Há cinco anos eu falo que vou parar de jogar e não consegui, só que agora chegou o momento", afirmou.

Sobre a derrota para a França nesta segunda-feira, que decretou a eliminação brasileira em Tóquio, a ponta lamentou os erros da equipe na hora de colocar a bola dentro do gol adversário. "A gente consegui produzir, chegar até o gol, mas infelizmente pecamos nas finalizações. Contra uma equipe tão forte como a França, isso não pode acontecer. Começamos muito bem a competição, mas depois começamos a cometer alguns erros que numa competição como os Jogos Olímpicos são complicados. O esporte é assim e temos que saber perder", lamentou.

Futebol