PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Júlio Casares explica nova liga no Brasil e ressalta: "É um avanço para o futebol"

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

16/06/2021 12h56

Nesta terça-feira, 19 clubes da Série A enviaram à CBF um documento assinado com o objetivo de fundar uma Liga para organizar o Campeonato Brasileiro, que hoje pertence à confederação. Júlio Casares, presidente do São Paulo e um do dirigentes que assinaram o documento, explicou, nesta quarta, a ideia da Liga e como os clubes pretendem articular o projeto.

"Estou muito otimista com o projeto. Temos novas lideranças e presidentes que estão chegando agora com uma cabeça diferente e que acreditam neste modelo que estamos propondo. Fomos muito claros, queremos melhorar e aumentar a nossa participação na CBF. Faremos a Liga a partir do Campeonato Brasileiro. O trabalho começa com união, sem liderança A ou B. Será um avanço para o futebol brasileiro.", afirmou  Casares em entrevista à ESPN.

O documento assinado está nas mãos da direção da CBF e, de acordo com o estatuto da confederação, cabem dois tipos de Assembleia Geral, a instância máxima da confederação: Administrativa e Eletiva. Para que a criação da liga seja feita, é necessário ter a aprovação da Assembleia Geral Administrativa, que só participam as 27 federações estaduais de futebol.

Casares pontuou qual será a estratégia adotada pelos clubes para convencimento das federações e destacou que a criação da liga não prevê qualquer tipo de exclusão de outros times que não assinaram o documento ou mesmo dos Campeonatos Estaduais.

"É importante dizer que esse passo que foi dado não é de exclusão, mas de inclusão. Certamente, as federações estarão presentes e ninguém aqui fala contra os Estaduais. Nós estamos focando no Brasileirão por ser a competição mais importante. Queremos estabelecer a justiça no peso dos votos. Acredito que teremos esse convencimento, principalmente mostrando que as federações estarão no projeto", afirmou o presidente tricolor.

"Essa é uma decisão que busca trazer maior transparência e o fato de colocarmos a CBF junto da criação da Liga não tem relação com o afastamento do Rogério Caboclo. Nem chegamos a abordar esse assunto, muito menos o que acontece no dia a dia da confederação. Viemos de forma objetiva dizer o que pensamos sobre o futebol brasileiro. Os clubes é que devem pensar nas questões de organização de sus competições", finalizou.

Dos 20 clubes da Série A, o único que não assinou o documento foi o Sport, que está sem presidente no momento. Milton Bivar renunciou ao cargo nesta terça-feira e uma nova eleição ainda não foi marcada. Entretanto, o clube já se mostrou favorável à decisão em nota divulgada no site oficial da equipe pernambucana.

Futebol