PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Crespo celebra goleada, mas alerta: "Virão partidas mais difíceis"

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

03/03/2021 20h16

Hernán Crespo conquistou sua primeira vitória à frente do São Paulo nesta quarta-feira, contra a Inter de Limeira, fora de casa. Passada a goleada no interior, o técnico argentino comentou sobre a atuação da equipe, sem esconder a satisfação pelo resultado, mas também fez questão de evitar qualquer ilusão por causa de uma única partida.

"Necessitamos de tempo. Não completamos uma semana, partida após partida, precisamos de dia de descanso para recuperar. É difícil. Você vê atitude, uma linha de jogo, mas há muito o que melhorar, muito o que fazer. Não é magia, não se faz nada de um dia para o outro. Há uma ideia, mas leva tempo. É preciso ficar tranquilo, porque virão partidas mais difíceis. Por isso, necessitamos tempo para trabalhar e corrigir erros", afirmou Crespo.

Esse também foi o primeiro jogo do São Paulo em 2021 que o time saiu de campo sem sofrer gols. Mesmo com um grande volume de jogo no ataque, o Tricolor se manteve sólido na defesa com três zagueiros e teve sua vida facilitada ainda no primeiro tempo graças à expulsão de Thiaguinho.

"Sempre entendo que quando se tem vocação ofensiva, pode haver problemas de equilíbrio na defesa. Minha intenção é poder avançar dentro de duas semanas, vamos poder trabalhar em muitos aspectos. Mas, sinceramente, a pré-disposição dos jogadores, a atitude dos jogadores em cada treinamento, em cada momento de jogo, desde que cheguei aqui foram espetaculares. Fico muito feliz e isso me dá muita serenidade para o futuro também", prosseguiu.

Por fim, Crespo comentou sobre o protesto protagonizado por torcedores são-paulinos na chegada da delegação ao estádio Major Levy Sobrinho. Sob ataques de pipocas, o elenco desembarcou na casa do adversário e acabou mostrando poder de reação com a goleada.

"Ninguém gosta que protestem. Eu não gosto, os jogadores não gostam, a torcida não gosta. Mas, a ideia, o desafio é mudar esse protesto para aplausos. Esse é o desafio do corpo técnico e dos jogadores. Tem que ter paciência. Hoje foi um primeiro ladrilho nesta parede que estamos tentando construir", concluiu.

Futebol