PUBLICIDADE
Topo

Santos

Com alto déficit mensal, Santos se esforça para reduzir a folha salarial

Lateral esquerdo Romário se destacou no Ceará ante de ser contratado pelo Santos - Ivan Storti/SantosFC
Lateral esquerdo Romário se destacou no Ceará ante de ser contratado pelo Santos Imagem: Ivan Storti/SantosFC

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

26/02/2021 07h00

O Santos tem alto déficit mensal e encontra dificuldade para reduzir a folha salarial. A diferença entre receita e despesa é de cerca de R$ 8 milhões. Para respirar financeiramente, o Peixe precisa liberar atletas fora dos planos e esse é um dos problemas para o departamento de futebol neste momento.

O Alvinegro emprestou Romário para o Coritiba e pagará 50% do salário. No mais, não recebeu propostas consideráveis por jogadores como Cleber Reis, Rodrigão, Felippe Cardoso, Rafael Longuine, Daniel Guedes e Lucas Venuto. Outros jovens têm futuro incerto, casos de Alexandre Tam, Anderson Ceará e Alan Cardoso. Tailson recebeu propostas.

O Santos procura clubes para quem retorna de empréstimo e não será utilizado pelo técnico Ariel Holan. A única exceção deve ser o zagueiro Sabino, ex-Coritiba. A tendência é dele ser reintegrado.

Com essa limitação financeira, o Peixe tem dificuldade para renovar contratos. Um exemplo é o de Carlos Sánchez, com vínculo até julho e um dos maiores salários do elenco. Ainda impossibilitado de contratar reforços, o Santos aguarda pela avaliação presencial de Holan para saber quem pode negociar. O Peixe precisa diminuir a folha com urgência.

Santos