PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Com golaço na prorrogação e Messi expulso, Bilbao bate o Barcelona e conquista a Supercopa da Espanha

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

17/01/2021 19h33

O Athletic Bilbao se consagrou campeão da Supercopa da Espanha pela terceira vez na historia neste domingo. Na final, a equipe basca bateu o Barcelona por 3 a 2, no Estádio La Cartuja, na cidade de Sevilha. Com isso, o Bilbao se iguala ao Deportivo La Coruña como o terceiro clube que mais venceu este troféu, ficando apenas atrás do Real Madrid, que tem 11, e do próprio Barça, que tem 13.

A partida começou bem estudada, com as equipes se arriscando pouco. Com isso, os gols demoraram para sair, mas, quando saíram, foram em sequência. Aos 39 minutos, Alba foi lançado por Messi e cruzou rasteiro para o meio da área, onde estava Griezmann, que teve apenas o trabalho de completar para o fundo da rede.

A alegria dos catalães, no entanto, durou apenas 93 segundos. Depois de bom cruzamento de Iñaki Williams, De Marcos saiu cara a cara com Ter Stegen e deixou tudo igual.

Já a segunda etapa foi bem mais agitada. Aos nove, o Bilbao até virou o placar, com Raúl Garcia, porém o VAR flagrou impedimento na jogada e anulou o tento. Na sequência, Iñaki Williams teve uma boa chance de guardar o seu. Após bate rebate, a bola sobrou para o camisa 9 dentro da área, mas ele finalizou para fora.

A resposta do Barcelona saiu aos 31 minutos, e foi fatal. Em um lance muito parecido com o primeiro gol, Griezmann recebeu cruzamento rasteiro de Alba e recolou o time catalão a frente.

Entretanto, o clube basco foi em busca do empate mais uma vez. Com o relógio já marcando 45 minutos, Muniain cobrou falta para dentro da área, e Villaibre foi mais rápido que a defesa para escorar para o fundo da meta.

Villaibre comemora o gol de empate do Bilbao

Dessa forma, a partida encaminhou para a prorrogação, onde o Bilbao se deu melhor. Logo aos três minutos, Iñaki Williams recebeu pelo lado esquerdo, fintou para o meio e emendou um lindo chute no ângulo esquerdo de Ter Stegen, que não pôde fazer nada para evitar o golaço.

A partir de então, o Barcelona até esboçou uma pressão em busca de um tento salvador, mas não foi o suficiente para tirar a taça das mãos dos rivais, principalmente depois que Lionel Messi foi expulso após agredir Villalibre fora da disputa da bola.

Futebol