PUBLICIDADE
Topo

Santos

Ao sair, Sampaoli disse que Santos não faria "coisas importantes" na Libertadores

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

15/01/2021 06h00

O técnico Jorge Sampaoli saiu do Santos de forma polêmica. E justificou a decisão com a falta de competitividade do clube para disputar a Copa Libertadores.

Atualmente no Atlético-MG, o argentino errou a previsão, já que seu ex-clube, agora sob o comando de Cuca, enfrentará o Palmeiras na final da competição continental. E teve mais saídas do que reforços para a temporada.

"Para o próximo ano, o clube tinha uma transição que não permitiria fazer coisas importantes na Libertadores ou no torneio local, assim decidimos cortar o vínculo. O melhor para o Santos e para mim, não coincidindo nossas posturas, é cada um seguir seu caminho", disse Sampaoli, à agência Efe.

Na última partida de Jorge Sampaoli pelo Santos, no 4 a 0 sobre o Flamengo em dezembro de 2019, a escalação foi: Everson, Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Alison, Diego Pituca e Carlos Sánchez; Marinho, Soteldo e Eduardo Sasha.

O Santos eliminou o Boca Juniors com: João Paulo, Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca, Marinho e Soteldo; Lucas Braga e Kaio Jorge.

Everson (Atlético-MG), Victor Ferraz (Grêmio), Gustavo Henrique (Flamengo), Jorge (Monaco) e Eduardo Sasha (Atlético-MG) saíram. E os reforços Madson, Raniel e Laércio não foram titulares diante do Boca.

Sampaoli pediu R$ 100 milhões em reforços antes de sair e não foi atendido. E o treinador revelou apenas Tailson.

Santos