PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Afastamento de Sidcley é recado ao elenco do Corinthians; jogador não pode ser inscrito pelo Dínamo

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

31/10/2020 06h00

A decisão do Corinthians em afastar Sidcley foi tomada em conjunto, entre comissão técnica e diretoria de futebol.

A Gazeta Esportiva apurou que desde quinta-feira Vagner Mancini tem conversado sobre o elenco com os dirigentes e, desta vez, o técnico ganhou carta branca do presidente Andrés Sanchez para agir.

Novas atitudes drásticas, como a tomada sobre o lateral esquerdo, não estão descartadas dentro do clube. Sanchez quer sempre ser consultado antes, mas prometeu não criar obstáculos. Não é de hoje que o mandatário está incomodado com alguns jogadores.

Após a derrota para o América, Vagner Mancini chegou a avisar que poderia tomar algumas decisões incomuns.

"O Corinthians precisa melhorar e eu vou em busca da solução, seja de uma forma agradável ou não, porque não vou ficar assistindo passivamente uma equipe que não dá um chute a gol" (...) "Terão de ser feitos ajustes, e serão feitos, mesmo que venham com algum sofrimento, porque temos de tomar uma decisão emergencial".

A intenção da cúpula de futebol com isso é ligar o sinal de alerta dentro do grupo de atletas e demonstrar respaldo ao comandante da comissão técnica em meio a crise de resultados.

Problema para o jogador

Sidcley foi contratado pelo Corinthians com status de titular, mas chegou a ser a quarta opção para o setor em meio a temporada.

Há alguns meses, o clube decidiu que o lateral não ficaria após o fim do empréstimo, que vence em dezembro, e por isso foi atrás de Fábio Santos.

A Gazeta Esportiva apurou que a insatisfação com o lateral cresceu nas últimas semanas por causa do comportamento do atleta.

Os relatos passados à reportagem, inclusive por pessoas próximas a Sidcley, é de que o jogador não vinha demonstrando o comprometimento esperado fora de campo e de que também não parecia mais preocupado com a situação do time.

Agora, o jogador de 28 anos deve ficar até o final do ano treinando no CT Joaquim Grava em horários diferentes aos do elenco principal.

Sidcley está vinculado ao Dínamo de Kiev até julho de 2023. Porém, os ucranianos não podem inscrever novos jogadores antes de janeiro. Ou seja, se resolver antecipar seu retorno à Ucrânia, o lateral também ficaria apenas treinando, ou seria integrado ao time de base.

A situação não seria confortável para Sidcley por dois motivos: ele não gosta de viver no país do Leste Europeu e também tem receio em se queimar com o técnico Mircea Lucescu.

O romeno, que comandou o Shakhtar Donetsk por muitos anos, gosta de trabalhar com brasileiros e já manifestou interesse em contar com Sidcley. O problema é que o clube leva muito em conta e acompanha de perto o desempenho de seus jogadores aqui no Brasil por meio de empresários.

Afastado pelo Corinthians, sem poder ser inscrito na Ucrânia e com a imagem profissional arranhada, Sidcley terá de passar alguns meses no ostracismo, quem sabe, em busca da volta por cima.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Futebol