PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Em busca de novo técnico estrangeiro, Palmeiras já brilhou com argentino e uruguaios

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

20/10/2020 09h00

Em busca de um novo treinador, o Palmeiras tem o espanhol Miguel Angel Ramirez como prioridade para suceder Vanderlei Luxemburgo. Ao longo de sua história centenária, o clube fundado por imigrantes italianos teve técnicos estrangeiros em alguns dos principais títulos.

O uruguaio Ventura Cambon dirigiu o Palmeiras na conquista da Copa Rio 1951, título que rendeu a colocação de uma estrela vermelha acima do símbolo da agremiação. Ex-jogador do clube nos anos 1930, ele ainda ganhou as edições de 1944 e 1950 do Campeonato Paulista e o Torneio Rio São Paulo 1951.

Já o argentino Filpo Nuñez comandou a Primeira Academia, integrada por ídolos como Ademir da Guia, Dudu, Julinho Botelho e Djalma Santos. Campeão do Torneio Rio São Paulo 1965, ele no mesmo ano dirigiu o Palmeiras como Seleção Brasileira na inauguração do Mineirão.

Humberto Cabelli foi mais um uruguaio que fez história como treinador do Palmeiras. Ele comandou o então Palestra Itália no único tricampeonato paulista da história do clube, alcançado em 1932, 1933 e 1934, e ainda ganhou a edição de 1933 do Torneio Rio São Paulo.

No total, o Palmeiras já contou com um total de 20 treinadores estrangeiros e não teve sorte com o último. Atual comandante da seleção peruana, o argentino Ricardo Gareca viveu uma passagem breve e desastrosa pelo clube alviverde em 2014, ano em que o time quase acabou rebaixado à Série B do Campeonato Brasileiro.

Nascido em Las Palmas de Gran Canaria, Miguel Angel Ramirez Medina, de 35 anos de idade, deve ser o próximo treinador estrangeiro do Palmeiras. O jovem técnico se destacou ao conduzir o equatoriano Independiente del Valle ao título da Copa Sul-Americana 2019.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Futebol