Corinthians investiga suposta lavagem de dinheiro na gestão Duilio

A atual gestão do Corinthians investiga suposta lavagem de dinheiro durante o mandato do ex-presidente Duilio Monteiro Alves.

O que aconteceu

O atual presidente Augusto Melo pediu uma investigação interna e também ao Conselho Deliberativo sobre "notas frias" no fim da gestão Duilio, em 2023.

O "Blog do Macedo" mostrou que o Corinthians pagou quase R$ 21 mil em pelo menos três notas entre outubro e dezembro de 2023 para um restaurante na zona leste de São Paulo. O valor seria de "self service" e o estabelecimento cobra R$ 29,90 para comer à vontade.

Em uma primeira versão, Duilio Monteiro Alves disse que o valor era referente ao total da alimentação de crianças do projeto social "Time do Povo" durante visitas à Neo Química Arena. O Corinthians pagaria a quantia do mês de uma só vez.

Em uma segunda versão, o ex-presidente voltou atrás e disse que a iniciativa oferecia lanche às crianças dentro da própria arena, sem a participação de restaurantes externos.

Há limitações de acesso que nos impedem de ter, de fora, todas as informações sobre fatos isolados das dezenas de departamentos e quase mil colaboradores em nosso mandato

Duilio, em nota oficial

Notas frias são utilizadas em esquemas de lavagem de dinheiro. As notas fingem uma relação comercial que não existe para que valores reais sejam subtraídos.

Augusto Melo espera que o foco seja desviado para o ex-presidente neste momento de turbulência política. O presidente pediu para os departamentos tentarem encontrar para onde foram esses mais de R$ 20 mil.

Continua após a publicidade

A oposição já articula um impeachment. O principal argumento é a rescisão do patrocínio máster da Vai de Bet também por suposta lavagem de dinheiro com o repasse da intermediação do acordo para uma empresa laranja. A atual diretoria afirma que pagou a comissão legalmente e que não é responsável por atitudes de terceiros.

Veja a nota oficial de Duilio Monteiro Alves na íntegra

A gestão 2021-2023 entende que surgiram informações desencontradas sobre nota fiscal de R$ 7.320, pelo que pedimos desculpas.

Reconhecemos que há limitações de acesso que nos impedem de ter, de fora, todas as informações sobre fatos isolados das dezenas de departamentos e quase mil colaboradores em nosso mandato.

Podemos, sim, esclarecer que o Projeto Social Time do Povo, iniciativa social criada com sucesso em 2010 e que estava desde 2012 sob a coordenação da Responsabilidade Social, oferecia lanches às crianças nas próprias dependências do clube e da arena, sem envolvimento de restaurantes externos.

Diante da informação dada à imprensa pela atual gestão nesta quinta (13) de que encaminhará uma averiguação, ficamos satisfeitos. Temos convicção na idoneidade da nossa gestão, confiamos nos órgãos de controle do clube e aguardaremos tais medidas. Continua sendo do nosso maior interesse que todas as situações sejam esclarecidas em nome do melhor para o Corinthians

Continua após a publicidade

Deixe seu comentário

Só para assinantes