PUBLICIDADE
Topo

Paris Saint-Germain

PSG gasta R$ 220 milhões com demissões de técnicos desde 2016, diz jornal

Nasser Al-Khelaifi, empresário e atual presidente do PSG - Getty Images/Getty Images
Nasser Al-Khelaifi, empresário e atual presidente do PSG Imagem: Getty Images/Getty Images

Do UOL, em São Paulo (SP)

06/07/2022 11h05

Agora anunciado oficialmente depois da saída de Maurício Pochettino, Christophe Galtier é o quinto técnico do PSG desde 2016. A busca pela conquista da Liga dos Campeões tem promovido essa rotatividade no cargo e, mais do que isso, tem sido sentida nos cofres do clube. Isso porque, de acordo com o jornal 'Marca', Nasser Al-Khelaif, mandatário da equipe, já se viu obrigado a desembolsar cerca de 40 milhões de euros (R$ 220 milhões atualmente) para arcar com os custos das demissões.

Laurent Blanc, Unai Emery, Thomas Tuchel e Maurício Pochettino não tiveram sucesso em suas passagens pelo clube francês e acabaram não ficando no cargo. Destes, apenas Emery teve o seu contato encerrado normalmente, sem a necessidade do PSG arcar com uma multa.

Recém-demitido, Maurício Pochettino custou cerca de 10 milhões de euros aos cofres da equipe por ainda ter um ano de contrato quando deixou o cargo. Antes dele, Thomas Tuchel saiu da equipe com sete milhões de euros no bolso também por ter o vínculo quebrado.

A grande bomba no bolso do PSG foi Laurent Blanc. Comandante do time entre 2013 e 2016, o técnico francês custou cerca de 20 milhões de euros com a quebra do seu contrato. Dentre todos os comandantes mais recentes da equipe, ele foi quem ficou mais tempo no cargo.

Anunciado pelo PSG na última terça-feira (5), Christophe Galtier é uma aposta da diretoria. Menos badalado que os nomes anteriores, o técnico guiou o Lille na campanha do título do Campeonato Francês há duas temporadas. Seu clube mais recente foi o Nice.

Paris Saint-Germain