PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

SPFC: Arboleda pode ter bens penhorados por dívida de R$ 386 mil com agente

Robert Arboleda, zagueiro do São Paulo - Miguel SCHINCARIOL/São Paulo FC
Robert Arboleda, zagueiro do São Paulo Imagem: Miguel SCHINCARIOL/São Paulo FC

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

28/06/2022 04h00

A lesão no tornozelo que pode tirá-lo da Copa do Mundo não é o único problema com que Arboleda terá que lidar nos próximos dias. Na última semana, o juiz Julio Cesar Silva de Mendonça Franco, do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, ordenou que o zagueiro do São Paulo pague dívida de R$ 386,94 mil com a Kirin Soccer, do empresário Lee Joseph.

Na decisão da última quarta-feira (22), o magistrado deu o prazo de três dias para que Arboleda quitasse a dívida. Com o tempo expirado, a Justiça pode proceder à penhora para forçar o são-paulino a pagar o valor. O zagueiro ainda pode se defender da decisão.

O processo contra o equatoriano corre na Justiça desde 12 de janeiro deste ano. A Kirin Soccer acusa Arboleda de ter pegado empréstimo de R$ 200 mil com a empresa, em 8 de março de 2020, e nunca ter quitado a dívida. No contrato anexado ao processo, o zagueiro se dispunha a pagar em oito parcelas de R$ 25 mil. Com os juros e a correção monetária, o montante chegou aos R$ 386,94 mil atuais.

A Justiça tentou encontrar Arboleda por duas vezes no endereço fornecido pela Kirin no processo, mas não conseguiu. Desde janeiro, não houve nenhuma manifestação da defesa do zagueiro são-paulino nos autos.

O UOL Esporte entrou em contato com o escritório Gomes Altimari Advogados, que representa a Kirin Soccer na ação, mas seus representantes não quiseram comentar o caso. Procurado, Arboleda, por meio de sua assessoria de imprensa, afirmou que seus empresários estão cuidando do caso e que tudo caminha para o acordo tranquilo.

Essa não é a primeira vez que Arboleda é acionado na Justiça por empresários. Em agosto de 2018, o agente espanhol Marc Salicru Massegu processou o zagueiro por dívida de US$ 150 mil (R$ 638.280,00 na cotação da época) contraída em 2016 e que deveria ter sido paga em seis parcelas.

O processo foi extinto em janeiro de 2020. A juíza Luciane Cristina Silva Tavares alegou que o fato de as partes terem elegido um tribunal em Monterrey, no México, como responsável por quaisquer ações impedia que a Justiça brasileira interviesse no caso.

Arboleda foi operado na última sexta-feira (24), depois de fraturar o tornozelo e romper os ligamentos do local na partida contra o Palmeiras, pela Copa do Brasil. O zagueiro recebeu no dia seguinte e iniciará a recuperação no departamento médico do São Paulo nos próximos dias.

Relação com a Kirin quase travou a renovação

Os desentendimentos de Arboleda com a Kirin Soccer quase impediram que o zagueiro renovasse seu contrato com o São Paulo, no fim do ano passado. A agência afirmava ser a representante legal dele no Brasil e ameaçou processá-lo depois que ele ampliou o vínculo com o clube por intermédio do agente equatoriano José Chamorro.

O imbróglio não tem relação com a atual dívida que a Kirin cobra de Arboleda na Justiça. O montante teria sido emprestado ao jogador tempos depois do início da parceria.

Além da Kirin Soccer, Joseph Trindade, representante da Euro Futs, também cogitou acionar Arboleda na Justiça. O empresário era mais um que alegava ter uma procuração assinada pelo zagueiro que o tornava o responsável por cuidar de sua carreira no Brasil.

Em 30 de dezembro, quando procurado pelo UOL Esporte para comentar o caso, o São Paulo negou qualquer chance de o vínculo com o zagueiro ser suspenso. Naquela semana, Arboleda prolongou o contrato com o Tricolor até o fim de 2024.

São Paulo