PUBLICIDADE
Topo

Botafogo

Botafogo luta contra desfalques em jogo contra América-MG na Copa do Brasil

Jogadores do Botafogo se abraçam antes do duelo contra o Fluminense, pelo Brasileirão 2022 - Vítor Silva/Botafogo
Jogadores do Botafogo se abraçam antes do duelo contra o Fluminense, pelo Brasileirão 2022 Imagem: Vítor Silva/Botafogo

Roberto Júnior

Colaboração para o UOL, em São Paulo

27/06/2022 04h00

Classificação e Jogos

A semana de preparação do Botafogo para o clássico contra o Fluminense não foi das melhores por causa das várias ausências, e isso pode ter refletido dentro de campo com tamanha superioridade do rival na posse de bola e, no fim, com o placar de 1 a 0 — mesmo com o Glorioso sendo contemplado também com algumas oportunidades. Para tentar mudar este panorama na Copa do Brasil, o Alvinegro deverá ter reforços e assim buscar um bom resultado fora de casa.

Contra o Fluminense, foram mais de dez desfalques no Botafogo entre suspensões e lesões. Dentre as principais ausências estavam Philipe Sampaio, Patrick de Paula, Kayque, Lucas Piazon e Victor Sá. Os quatro primeiros, por cumprirem suspensões no clássico, devem viajar para enfrentar o América-MG. Chay, Luís Oyama e Del Piage, que tinham problemas, conseguiram ficar aptos e estiveram em campo ontem no Nilton Santos. O trio só não será relacionado caso o haja algum incômodo ou opção técnica.

Segundo o último material divulgado pelo Botafogo, Rafael e Carlinhos, que tiveram casos mais graves, Lucas Fernandes e Diego Gonçalves estão em transição. Enquanto Barreto, Gustavo Sauer e Victor Sá seguem em recuperação.

Vitor Severino não escondeu que montar um time quando não se tem todas as peças disponíveis traz dificuldades e um outro "cenário" para se pensar no adversário.

"Uma equipe que tem a semana toda para treinar com todo o elenco disponível é diferente de uma equipe que tem a semana toda para treinar, mas que hoje tem uma informação, amanhã tem outra, depois é uma lesão... Montar uma estratégia sabendo o time que vai jogar é um cenário, não foi esse que nós tivemos", declarou Severino após o revés contra o Fluminense.

Após a derrota para o Fluminense, o auxiliar foi questionado sobre as numerosas lesões no Glorioso. Severino evitou achar culpados ou usar o problema como desculpa.

"As respostas (para o alto índice de lesões) teriam que ser dadas pelo departamento médico. Óbvio que estamos a par daquilo que vão passando, mas estamos focados numa área muito mais técnica e tática. Como eu disse, quando existe muitas lesões, muitas derrotas, vamos a procura de explicações. O ser humano é assim que funciona", pontuou.

"As lesões esportivas tem haver com a alta intensidade dos jogos. Não é fácil para mim explicar isso. Mas é normal, todas as equipes têm seus momentos, vamos passar longos períodos sem lesões. Quando aparece a palavra 'muscular' é um pouquinho fantasma dizer que alguma coisa está mal feita. Não. Como eu disse, o grupo está fechado, acreditamos naquilo que estamos fazendo", concluiu.

Contra o Bragantino, pela próxima rodada do Brasileirão, Joel Carli e Chay já são desfalques confirmados por terem tomado o terceiro amarelo.

Grupo fechado e motivado para Copa do Brasil

A derrota no clássico não foi suficiente para derrubar os jogadores, que dentro do vestiário, apesar de tristes, se mostraram unidos, segundo Vitor Severino.

"Alguns acabaram o jogo exaustos, mas com a cabeça erguida, unidos como sempre. Temos um grupo fantástico, que trabalha muito, uma verdadeira família. É muito fácil enaltecer uma família que ganhou o jogo anterior, e é fácil criticar quando se perde hoje com menos posse de bola. Da nossa parte não vai haver essa análise, estamos muito fechados uns com os outros", reforçou.

A motivação também vem desta proximidade dos jogadores. É isso que fará com que o Botafogo levante a cabeça para seguir vivo nas oitavas da Copa do Brasil, alegou Severino.

"A motivação não vai cair. Estamos tristes (pela derrota contra o Flu), porque o grupo sentiu que trabalhou muito e tivemos nossas oportunidades mesmo não fazendo um bom jogo. Mas enquanto tivermos um grupo unido, abraçado, que acreditam uns nos outros, igual ao que encontrei no vestiário, a motivação não vai baixar nunca. Não ficamos demasiados com a vitória heroica contra o Inter, e não ficaremos deprimidos com a derrota."

O Botafogo vai viajar até Belo Horizonte para enfrentar o América-MG pelo jogo de ida das oitavas de finais da Copa do Brasil. O duelo acontecerá na quinta-feira (30), às 19h (de Brasília), na Arena Independência.

Botafogo