PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

São Paulo: Patrick corresponde e ganha moral para formar dupla com Calleri

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

24/06/2022 04h00

Classificação e Jogos

Os dois clássicos na sequência contra o Palmeiras trouxeram uma boa notícia para o São Paulo, que tem que lidar com o drama de perder Arboleda por uma lesão séria. Além da recuperação do moral com a vitória por 1 a 0, ontem (23), no Morumbi, Rogério Ceni viu sua aposta dar certo no ataque. Diante das más fases de Éder, Luciano e Rigoni, Patrick ganhou espaço para ser o novo parceiro de Jonathan Calleri.

O meia foi escalado como segundo-atacante e correspondeu. Foram dois gols em dois jogos diante do Palmeiras. Se na última segunda-feira (20) o gosto amargo da virada nos acréscimos prevaleceu, ontem, o clima era de pura alegria com a atuação. Nas últimas quatro partidas do São Paulo, o Pantera Negra balançou as redes três vezes..

"Estou aproveitando o momento. Tenho facilidade de ter o entendimento tático, independente da região do campo. Tento fazer o que o Rogério pede, tenho a oportunidade de estar mais perto do gol, a bola está sobrando, tento fazer o melhor do que a posição pede", disse Patrick, depois da vitória.

Patrick chegou com expectativa no São Paulo. Desejo antigo da diretoria, o meia foi contratado por 500 mil euros (R$ 3,2 milhões na cotação da época) no início da temporada. Um problema físico logo em sua chegada fez com que ele perdesse espaço e demorasse para ter uma sequência na equipe titular.

As chances passaram a aparecer mais regularmente devido ao alto número de problemas médicos do São Paulo. Sem poder contar com Gabriel Sara e Alisson, adversários de Patrick por uma vaga quando a equipe joga no 4-1-3-2, Rogério Ceni passou a utilizar mais o camisa 88. Nos dois jogos contra o Palmeiras, ele mostrou que também pode ser um concorrente pela vaga que anteriormente era disputa por Eder, Rigoni e Luciano.

"Não carimbei a vaga no time titular, o elenco é muito qualificado. O professor usa todo mundo. Não tenho que me sentir titular, tenho que ajudar a equipe quando for solicitado e aproveitar a oportunidade para ajudar o São Paulo", prosseguiu.

A melhora de desempenho do meia foi tema na entrevista coletiva de Rogério Ceni. O treinador elogiou a evolução de Patrick e repetiu uma declaração do próprio jogador, que disse depois de marcar contra o Jorge Wilstermann, em 19 de maio, que quando fazia gols, ninguém dizia que ele estava gordo.

"O Patrick subiu muito de nível nos últimos jogos. Hoje trabalha mais ou menos no nível do Internacional. Acho que nessa função de segundo-atacante ou aberto pela esquerda, ele tem rendido bastante. Ele tem muita força, não é tão veloz, mas é um jogador de arrasto. (...) É inegável que ele vai ganhando espaço, só temos que tomar cuidar pelo cansaço. Ele jogou quase o tempo todo em todos os jogos. É como ele fala, hoje ele é magro, né", disse.

O São Paulo se reapresenta hoje (24) de olho no próximo compromisso, pelo Brasileirão. No domingo (26), a equipe enfrenta o Juventude, novamente no Morumbi, pela 14ª rodada da competição.

São Paulo